Tentantes: descubra o que você pode estar fazendo de errado!

Tentantes: descubra o que você pode estar fazendo de errado!

Tentantes: descubra o que você pode estar fazendo de errado!

O sonho de ser mamãe acompanha muitas mulheres. Porém, com os rumos que a vida profissional da mulher moderna pode tomar, essa vontade por vezes acaba sendo adiada. Mas não há problemas nisso, desde que haja planejamento por parte das tentantes e aconselhamento sobre o declínio da fertilidade com o avanço da idade.

Ao medo de “passar da idade” para engravidar soma-se a tensão de não saber o quanto vai durar a espera. Tal situação é mais comum do que pensamos. Muitas vezes, está ligada a problemas no organismo do homem ou da mulher, ou pode se tratar de infertilidade conjugal.

A boa notícia é que há casos nos quais a ausência da gravidez se dá por hábitos inadequados que podem ser corrigidos.

Para entender melhor, listamos abaixo alguns erros que você pode estar cometendo e que resultam na dificuldade de engravidar. Acompanhe o texto e saiba mais sobre o assunto!

Avaliação do período fértil

O rigor e sistematização na definição ou cálculo do período fértil é um dos erros mais frequentes entre os casais que estão tentando engravidar. Muitas mulheres utilizam aplicativos e intensificam ou programam as relações sexuais no período fértil. Isso pode ser um problema porque o stress gerado pela situação pode atrapalhar a harmonia e equilíbrio da produção hormonal para ovulação e implantação, além de desgastar o relacionamento conjugal.

Casais que apresentam duas relações sexuais ou mais por semana já estarão expostos à gravidez, pois o espermatozoide pode sobreviver até 72 horas no corpo da mulher e o óvulo entre 24 e 48 horas. Assim, uma excelente tática é criar um cenário diferente e deixar a relação ocorrer mais naturalmente, sem cobranças ou obrigações.

Poucas relações sexuais

Não existe uma frequência sexual mínima ou máxima que seja considerada normal. Cada casal encontra suas particularidades e necessidades. Entretanto, quando se fala em encomendar o bebê, o ideal é que o casal tenha no mínimo duas relações sexuais por semana. Um número maior de relações pode encurtar o tempo da chegada do bebê, mas mudanças exclusivamente por causa das tentativas de engravidar podem aumentar a ansiedade e o desgaste conjugal.

Uso de lubrificantes

Você utiliza lubrificantes artificiais nas relações sexuais? O papel do muco cervical é facilitar a locomoção dos espermatozoides até o óvulo e o uso de lubrificantes pode alterar esse mecanismo, dificultando a fecundação. A vagina tem componentes ácidos, enquanto o muco cervical é alcalino e ajuda também na conservação dos espermatozoides até que cheguem ao óvulo.

Alguns lubrificantes dificultam a mobilidade dos espermatozoides, que podem ficar inviáveis para fertilização. Para melhora da lubrificação vaginal, é importante que ocorram as preliminares e envolvimento entre o casal. Se mesmo assim for necessário o uso de lubrificantes, os compostos a base de água, transparentes, sem cheiro e solúveis são os mais indicados e interferem menos no processo de fertilização.

Hábitos inadequados

Há algumas mulheres que focam apenas nos cuidados com a saúde reprodutiva, mas tal medida não é suficiente. De nada adianta constatar que o útero e os ovários “vão bem, obrigada”, se a mulher não estiver disposta a parar de fumar, perder peso ou continuar exagerando nas bebidas alcoólicas.

Tais hábitos colaboram para que a gravidez demore a acontecer, mas isso não se resume somente aos cigarros e às bebidas. Café em excesso, refrigerantes, sal e sedentarismo também são prejudiciais nesse sentido. Portanto, procure manter uma alimentação balanceada, beba bastante água e pratique atividades físicas regularmente. Para que uma gravidez aconteça, é necessário que o seu corpo esteja em equilíbrio.

Má alimentação

Conforme citamos no tópico acima, é importante manter uma boa alimentação para engravidar. Se você restringe o seu prato a poucos tipos de alimentos ou come muitos lanches devido à correria do trabalho, está na hora de rever essa questão. Tal fator pode levar à insuficiência de nutrientes no organismo ou excesso de carboidratos, o que interfere diretamente na saúde geral e também na fertilidade. Se for o caso, recorra a um médico que auxilie na tarefa de perder peso com a ajuda de equipe multiprofissional.

Lembre-se que a obesidade pode estar associada à predisposição genética e você precisa procurar um time multiprofissional que leve em consideração as dificuldades de redução do peso devido a questões hereditárias.

Longa espera para consultar um médico

Se o casal já está tentando engravidar há algum tempo sem sucesso, o melhor a fazer é consultar um especialista em fertilidade. Aliás, todo casal que está pensando em ter um bebê deve procurar um médico para avaliar a saúde tanto do homem quanto da mulher, além de realizar exames antes de engravidar.

Se você já está tentando, é normal que o positivo demore alguns meses para chegar. Entretanto, se as tentativas já ultrapassam os 12 meses, talvez seja a hora de investigar a questão mais a fundo. Caso você tenha mais de 35 anos ou o casal apresente doenças que alterem a fertilidade, o ideal é esperar apenas 6 meses para procurar ajuda. Isso acontece porque a fertilidade reduz com o avanço da idade da mulher — portanto, não há tempo a perder.

Histórico de doenças que afetam a fertilidade

Existem algumas doenças que podem afetar a fertilidade, como endometriose, síndrome dos ovários policísticos, obstrução das trompas etc. Nesses casos, é necessário tratá-las e controlá-las antes de engravidar. No homem, podemos citar a varicocele e as alterações nos espermatozoides, facilmente identificadas em um espermograma. Entretanto, esse exame deve ser realizado de rotina, a não ser nos casos de infertilidade ou doença prévia conhecida.

Além de doenças diretamente ligadas a fertilidade, algumas patologias crônicas, como diabetes, obesidade, câncer e alguns distúrbios imunológicos também podem alterar o potencial reprodutivo. Daí a importância de recorrer a um especialista em fertilidade, que vai avaliar a saúde geral e reprodutiva do casal.

Por fim, uma dica para as futuras mamães é procurar um médico antes de começar a sofrer com a ansiedade e o stress. É importante não se precipitar, mas o retardo em busca de ajuda pode impactar a saúde reprodutiva e outras áreas da vida. Quanto mais você demorar a fazê-lo, mais a sua idade avança, a fertilidade diminui e o tão sonhado positivo vai ficando distante.

Muitas vezes, apenas um bom bate papo com um médico de confiança, um pouco de imaginação com o parceiro e um planejamento do tempo de espera para encomendar o bebê podem tornar essa jornada prazerosa e excitante na vida das tentantes!

Gostou de saber um pouco mais sobre o assunto? Então, assine a nossa newsletter e receba diretamente na sua caixa de e-mails outros conteúdos como este!

mm

Prof. Dr. Anderson Sanches de Melo

Médico especialista em Reprodução Humana pelo Hospital das Clínicas da HC FMRP-USP. CRM-SP 104.975
Perfil no Doctoralia
Perfil no Linkedin

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia