Ceferp | Centro de Fertilidade Ribeirão Preto - Reprodução Humana

Cabeçalho

Ausência de Espermatozoides

Saiba Mais
O que fazer com o diagnóstico de azoospermia?

A Azoospermia (ausência de espermatozoides no sêmen ejaculado) é uma das causas da infertilidade conjugal, afetando 15-20% dos homens com infertilidade. Cerca de 1-2% dos homens da população geral têm azoospermia.

Antes de qualquer tratamento, o exame mais importante a ser realizado é o Espermograma com Pesquisa de Espermatozoides, realizado em nosso laboratório especializado. Frequentemente há casos diagnosticados como Azoospermia, mas nos quais encontramos alguns pouquíssimos espermatozoides em toda amostra, que são suficientes para serem congelados e utilizados em um procedimento de fertilização in vitro sem a necessidade da realização de procedimentos cirúrgicos.

Se houver confirmação da Azoospermia pelo Espermograma específico, é necessário conhecer sua causa e realizar um procedimento cirúrgico para procurar espermatozoides direto do testículo e/ou epidídimo. As azoospermias podem ser divididas em “secretora” e “obstrutiva”.

Azoospermia secretora

A azoospermia secretora ou não obstrutiva é a mais severa e frequente, representando 70% dos casos de azoospermia. Pode ser congênita (desde o nascimento) ou adquirida (após doenças ou tratamentos) e as suas causas mais comuns são:

   • Anomalias na descida dos testículos.

   • Exposição à substâncias tóxicas: medicações, radioterapia e quimioterapia.

   • Alterações genéticas.

   • Alterações hormonais.

   • Problemas nos testículos (traumatismos, inflamações, varicocele severa, entre outros).

Embora seja efetiva em alguns casos, a obtenção dos espermatozoides via micro-cirurgia nos casos de azoospermia secretora é dificultada, visto que na maioria dos casos a alteração está na própria produção de espermatozoides.

Azoospermia obstrutiva

A Azoospermia obstrutiva é caracterizada por um problema de obstrução nos canais que transportam os espermatozoides desde os testículos até a uretra. As causas mais comuns são:

Ausência de canais deferentes (desde o nascimento ou devido a uma intervenção cirúrgica).

Inflamações ou traumatismos dos testículos, epidídimo, canais deferentes ou próstata.

É mais fácil obter espermatozoides neste tipo de azoospermia com a realização de uma micro-cirurgia, pois os sua produção não é afetada, havendo apenas uma obstrução na sua passagem para o ejaculado.

O CEFERP disponibiliza todas as técnicas necessárias para a retirada micro-cirúrgica de espermatozoides, realizadas com um urologista especialista em nosso centro cirúrgico. São elas:

   • MESA: Aspiração Microcirúrgica de espermatozoides do epidídimo

   • PESA: Aspiração Percutânea dos espermatozoides do epidídimo

   • TESE: Biópsia testicular

   • TESA: Aspiração testicular do espermatozoide


​Cada técnica têm suas indicações e variações na qualidade dos espermatozoides recuperados. Após a punção/biópsia, o material é levado ao laboratório para uma busca minuciosa por espermatozoides. Caso sejam encontrados, eles são prontamente congelados para posterior utilização no tratamento de fertilização in vitro (ICSI ou SUPER ICSI).

Caso não seja encontrado nenhum espermatozoide na amostra, existe a possibilidade da utilização de espermatozoides de Bancos de Sêmen nacionais ou internacionais. Com a utilização de sêmen de doador, o tratamento pode ser Inseminação artificial ou fertilização in vitro (ICSI / SUPER ICSI), dependendo da avaliação da fertilidade feminina.