fbpx

Ceferp | Centro de Fertilidade Ribeirão Preto - Reprodução Humana

Cabeçalho

Gravidez após a laqueadura

Reversão da laqueadura
tubária ou FIV?

Saiba Mais

E lá está o início de tudo... O primeiro passo para a formação do embrião é representado pela fertilização do óvulo por um espermatozoide... e o cenário para este encontro é a trompa uterina, um dos órgãos mais importantes para a fertilidade! Aproximadamente 40% dos problemas femininos para engravidar são representados por alteração na permeabilidade/função das trompas. E a laqueadura tubária tem sido um motivo relativamente frequente de dificuldade feminina para engravidar!

Infelizmente, no Brasil, há uma cultura de massificação de técnicas contraceptivas consideradas irreversíveis (laqueadura tubária, por exemplo). Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 40% das mulheres brasileiras realizam a laqueadura no auge de sua capacidade reprodutiva (20-30 anos). Estes números alarmantes reforçam a necessidade de aconselhamento sobre possíveis opções reversíveis com alta eficácia contraceptiva antes da decisão por métodos definitivos. Deste modo, o planejamento familiar pode ser realizado com segurança e tranquilidade para que o casal possa decidir quando e quantos filhos ter, mantendo sua autonomia para suspender o método em busca de nova gestação caso mudem de ideia no futuro.

Apesar de ser considerado um método anticoncepcional definitivo, mulheres submetidas a laqueadura tubária podem recorrer as técnicas da reprodução humana para alcançar novas gestações. Para isto, o sonho de ter um bebê pode ser concretizado através da reversão da laqueadura ou da fertilização in vitro (FIV).

Gravidez pós laqueadura
O que avaliar antes de decidir pela reversão da laqueadura ou FIV?

   • Idade da mulher

   • Fatores associados que levam a dificuldade para engravidar: endometriose, fator masculino, quantidade de folículos nos ovários visualizados no ultrassom, entre outros.

   • Tipo de laqueadura: retirada total ou parcial das trompas, comprimento da trompa após a laqueadura, etc.

   • Tempo entre a laqueadura e sua reversão

   • Condições financeiras do casal

   • Grau de ansiedade

   • Entre outros

Durante a consulta, o especialista em reprodução humana deve estar atento as particularidades do casal: todo detalhe é importante... não apenas alterações biológicas, evidências científicas, mas também o contexto emocional e econômico!

Quando a reversão da laqueadura pode ser uma opção?

A idade da mulher é o principal fator relacionado ao sucesso da reversão da laqueadura. Por isto, mulheres com menos de 35 anos que não apresentam outros fatores relacionados a dificuldade para engravidar são as principais candidatas para alcançar nova gestação por esta técnica. Nas outras situações, a FIV apresenta maior custo-benefício.

​É importante frisar que quem opera, espera! Após a cirurgia é necessário aguardar um tempo para que a gestação ocorra: aproximadamente 40 a 70% das mulheres alcançam a gestação após 1 a 2 anos da cirurgia. Em algumas situações, a cirurgia pode falhar em recanalizar as trompas e o casal necessitará recorrer à FIV para engravidar.

A reversão da laqueadura é uma opção para casais que não tem condições financeiras para recorrer às técnicas de reprodução assistida, visto que este procedimento é disponibilizado gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Quais as principais complicações da reversão da laqueadura tubária?

Além da falha na recanalização tubária que depende de inúmeros fatores como o tipo de laqueadura, tempo entre sua realização e reversão, condição intraoperatória, entre outras, a reversão da laqueadura pode estar associada ao aumento do risco de gestação nas trompas (ectópica). Este quadro não permite que a evolução da gestação e, algumas vezes, é necessário recorrer ao uso de medicamentos ou a cirurgia para evitar complicações graves para a mulher.

​Um recente estudo europeu analisou a taxa de gravidez de 10.689 mulheres que foram submetidas a reversão da laqueadura tubária. Segundo os autores, a taxa de gestação ectópica variou entre 4-8%, ou seja, de cada 100 mulheres submetidas ao procedimento, 4 a 8 tiveram a gestação localizada na trompa. Estes números variam entre 2 a 4 gestações nos ciclos de FIV e ocorrem geralmente quando a mulher já apresenta alguma alteração prévia nas trompas.

Como o procedimento é realizado?

A reversão da laqueadura é um procedimento microcirúrgico delicado, pois a tuba tem em média 3 a 5 mm de diâmetro. A aproximação das bordas da tuba (anastomose) pode ser realizada através laparoscopia, cirurgia robótica, ou cirurgia aberta (laparatomia - técnica em desuso para este tipo de procedimento). O procedimento é realizado com fio cirúrgico extremamente fino e delicado com o auxílio de microscópio cirúrgico. Segundo a sociedade americana de medicina reprodutiva (American Society for Reproductive Medicine), a técnica utilizada para reversão da laqueadura parece não interferir na taxa de sucesso da recanalização.

Mensagem final...

Sempre existe uma solução! Apesar do caráter definitivo e permanente, mulheres submetidas podem ter a chance de refazer seu planejamento reprodutivo.... Agende uma visita à CEFERP e saiba como realizar o sonho de uma nova gestação! E lembre-se: Não existe fim para aqueles que acreditam em recomeço!


Referências:

   • Practice Committee of the American Society for Reproductive Medicine. Role of tubal surgery in the era of assisted reproductive technology: a committee opinion.    Fertil Steril. 2015;103(6):e37-43.

   • van Seeters JA, Chua SJ, Mol BW, Koks CA.Tubal anastomosis after previous sterilization: a systematic review. Hum Reprod Update. 2017 22:1-1. [Epub ahead of print]

Aqui em nossa clínica não fazemos tratamento de reversão da laqueadura, fazemos tratamentos de reprodução humana assistida, que podem auxiliar a paciente a engravidar mesmo laqueada. Para o procedimento de reversão de laqueadura procure um Ginecologista.