Confira 5 perguntas respondidas sobre o laboratório de reprodução humana

Confira 5 perguntas respondidas sobre o laboratório de reprodução humana

Confira 5 perguntas respondidas sobre o laboratório de reprodução humana

Inúmeras pessoas ao redor do mundo têm o sonho da paternidade frustrado pela ocorrência de problemas de fertilidade de um ou ambos os parceiros. Entretanto, a evolução da medicina reprodutiva ao longo das últimas décadas tem permitido que muitas dessas pessoas consigam desenvolver uma gravidez saudável.

Basicamente, reprodução humana assistida consiste em um conjunto de técnicas de intervenção médica e laboratorial com o objetivo de iniciar uma gestação. O sucesso desses procedimentos depende diretamente da qualidade do laboratório de reprodução humana, assim como do conhecimento e da experiência dos profissionais envolvidos em todo o processo.

Tendo em vista a importância do laboratório no sucesso do tratamento, a seguir respondemos 5 das principais perguntas sobre o tema. Confira e descubra as principais informações sobre equipamentos utilizados e profissionais envolvidos com a área!

1. Quais são os equipamentos utilizados em um laboratório de reprodução humana?

Para a realização dos procedimentos laboratoriais são necessários aparelhos de alta tecnologia. Esses equipamentos são fundamentais para a manipulação adequada de gametas e embriões, assim como para manter as condições ambientais controladas.

A incubadora de embriões é um dos equipamentos indispensáveis nos laboratórios de reprodução assistida. O interior desses dispositivos simula as condições ideais para o desenvolvimento do embrião, tal qual seria dentro do útero da mulher.

Além disso, é possível citar ainda a presença de tecnologias como a do Time Lapse Embrionário, o qual requer um equipamento que permite o monitoramento dos embriões e o desenvolvimento deles, possibilitando uma análise mais aprofundada na escolha dos que vão para transferência.

2. Quais profissionais podem estar envolvidos no processo?

Os embriologistas são os profissionais que trabalham nos laboratórios de reprodução humana assistida. Essa especialidade qualifica médicos, biólogos ou biomédicos para realizar a manipulação de gametas e embriões humanos em procedimentos de alta e baixa complexidade.

A ação desses profissionais pode ter como ênfase a análise diagnóstica de aspectos referentes à fertilidade do paciente. Além disso, o embriologista tem a função de executar a parte laboratorial de procedimentos como fertilização in vitro (FIV), inseminação intrauterina ou congelamento de gametas e embriões.

Embora existam médicos com especialização em embriologia e áreas afins, o ginecologista responsável pelo tratamento do paciente não costuma participar diretamente dos procedimentos laboratoriais das técnicas de reprodução humana assistida. Entretanto, é possível dizer que o sucesso do tratamento depende tanto da conduta médica quanto dos embriologistas.

3. Quais são as principais inovações tecnológicas dessa área?

Há mais de 40 anos as técnicas de reprodução humana assistida vêm se desenvolvendo graças aos constantes avanços na área. Esses avanços são responsáveis não só pela maximização do sucesso dos tratamentos, como também pelo aumento da probabilidade de que o embrião se desenvolva de maneira saudável.

Um dos exemplos é a Análise Genética Embrionária, uma técnica que consiste na retirada de algumas células do embrião para avaliação. A partir dela, torna-se possível identificar se os embriões analisados apresentam algum tipo de alteração genética ou gênica, dependendo do estudo que foi feito. Com isso, são transferidos apenas embriões saudáveis.

Como mencionado, o monitoramento embrionário é realizado com o sistema de time lapse, o qual possibilita que os embriões sejam monitorados ainda dentro da incubadora e com a menor interferência externa possível, já que não precisam ser retirados desse ambiente controlado para avaliação do seu desenvolvimento.

4. Quais cuidados os profissionais dessa área devem ter?

É fundamental que os embriologistas sempre mantenham seus conhecimentos atualizados. Essa área evolui constantemente, e cabe ao profissional se manter atualizado não só no sentido de potencialização dos resultados, como também da própria segurança do paciente.

Além disso, é válido ressaltar a importância de que o laboratório atenda todas as normas exigidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), assim como as orientações do Conselho Federal de Medicina (CFM). A existência de tais normas justifica os avanços e resultados obtidos pelas clínicas reprodutivas brasileiras.

A fim de garantir a segurança biológica para a manipulação de gametas e embriões humanos, é extremamente necessário não só a qualificação do profissional, como também o cumprimento de todos os protocolos impostos pelos órgãos governamentais.

O acompanhamento de um Programa de Controle de Qualidade é muito importante na Medicina Reprodutiva. Para tal, a clínica deve contar com pessoas habilitadas e treinadas, além de ter as diretrizes de alguma empresa especializada. No CEFERP, contamos com o Programa Internacional Qmentum.

5. O que é um laboratório de andrologia?

Cerca de 1/3 dos casos de infertilidade está relacionado à fertilidade masculina. Nesse sentido, diversos casos de infertilidade masculina vêm sendo contornados graças aos avanços da medicina reprodutiva nas últimas décadas.

Denomina-se laboratório de andrologia o ambiente laboratorial que se dedica à análise de amostras relativas à fertilidade do homem. A partir de amostras de seminais, é possível realizar uma série de exames diagnósticos para a devida avaliação da capacidade reprodutiva do paciente.

Nesses laboratórios são realizados exames como o espermograma, que avalia a qualidade e a quantidade de espermatozoides no sêmen do paciente. Essa análise permite que o médico direcione corretamente o melhor tratamento para o caso.

Há ainda exames de maior complexidade, como Avaliação da Super Morfologia e Avaliação da Fragmentação do DNA Espermático, que permitem uma análise mais detalhada do que a do espermograma comum.

Interessado em saber mais informações sobre o funcionamento de um laboratório de reprodução humana? Entre em contato conosco!

mm

Marcelo Rufato

Embriologista Sênior e Diretor dos Laboratórios do CEFERP
Perfil no Linkedin

Comentários (2)

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia