Gravidez anembrionária ou gravidez anembrionada: entenda porque ela acontece

Gravidez anembrionária ou gravidez anembrionada: entenda porque ela acontece

Gravidez anembrionária ou gravidez anembrionada: entenda porque ela acontece

Banner Sonhar Juntos

A gravidez anembrionária ou gravidez anembrionada é um tema difícil que pode gerar muita dor e frustração para o casal, portanto é um assunto que precisa ser debatido.

É comum que grande parte das pessoas nunca tenha ouvido falar sobre a gravidez anembrionária, conhecida também como ovo cego, o que gera muitas dúvidas.

Se você quer entender mais sobre o que se trata esse tipo de gravidez, qual a frequência em que pode ocorrer, e porque também acontece em casos de fertilização in vitro (FIV), continue a leitura e entenda!

O que é a gravidez anembrionada?

A gravidez anembrionária ou gravidez anembrionada trata-se de uma condição que ocorre quando um óvulo fertilizado se implanta no útero da mulher, mas não se desenvolve como embrião, gerando um saco gestacional vazio.

O saco gestacional é a primeira estrutura que se forma e já pode ser visualizada no ultrassom mesmo antes do embrião, por volta da 4ª semana de gravidez.

No caso de uma gravidez anembrionada, o saco gestacional se desenvolve normalmente, pois o óvulo é fertilizado pelo espermatozoide e se implanta no útero, mas não é formado o embrião. Após confirmação da gravidez, caso o médico identifique apenas o saco gestacional e a ausência de batimentos cardíacos, é detectada a gravidez anembrionada.

Apesar de esse tipo de gravidez ser confirmada como um positivo (gerando o hormônio da gravidez hCG) e do corpo da mulher produzir hormônios de gestação com todos os sintomas característicos (por exemplo, aumento dos seios, cansaço, sono excessivo e inchaço), não há nenhum embrião de fato em desenvolvimento.

Por que a gravidez anembrionada acontece?

Receber a notícia de uma gravidez anembrionada não é nada fácil, no entanto, é preciso entender que não há um motivo específico para que isso ocorra.

Em geral, são citadas falhas genéticas dos gametas ou de divisão celular. No ultrassom será visualizado apenas o saco gestacional sem a identificação de estruturas embrionárias como a vesícula vitelínica ou o próprio embrião.

Isso ocorre porque o óvulo é fertilizado pelo espermatozoide na tuba uterina, migrando para a cavidade uterina onde se implantará em estágio de blastocisto. Uma parte de suas células vai dar origem ao embrião propriamente dito, enquanto a outra parte dá origem aos chamados anexos embrionários (saco gestacional, placenta, líquido amniótico). Nesse caso, as células que formariam o bebê não progridem em seu desenvolvimento.

Logo, as causas da não formação do embrião podem ter origem em erros espontâneos da divisão celular ou também podem ser provocados pela baixa qualidade genética do óvulo ou espermatozoide, levando ao desenvolvimento de um ovo cego, ou seja, a formação do saco gestacional sem embrião.

A gravidez anembrionada também acontece na FIV?

A gravidez anembrionada pode ocorrer tanto após uma gestação espontânea como após um tratamento de reprodução assistida, como a FIV.

Banner Infográfico dicas

Na reprodução assistida após o embrião ser transferido para o endométrio ele se divide em duas partes:

A primeira é o trofoblasto ou trofoderma que dará origem à placenta e a segunda originará a massa celular interna ou embrioblasto, do qual se formará o feto.

Caso a segunda parte não ocorra por algum motivo, acontece a gestação anembrionada.

Como falamos acima, não há uma causa específica para que ocorra essa condição. O que existem são alguns fatores de risco que podem influenciar, como:

  • primeira gestação;
  • idade materna avançada;
  • fatores genéticos;
  • doenças crônicas;
  • homens com mais de 40 anos;
  • maus hábitos alimentares, consumo de bebidas alcoólicas e tabagismo.

O que acontece após identificada a gravidez anembrionada?

Caso identificada a gravidez anembrionada, ou seja, se não houver embrião dentro do saco gestacional mesmo após reavaliação em uma semana, a gravidez não irá evoluir.

O saco poderá ser expelido naturalmente como um aborto espontâneo, mas em algumas ocasiões pode ser necessário o procedimento de curetagem ou aspiração em um hospital.

Qual a frequência que pode acontecer a gravidez anembrionária?

Quem enfrentou uma gravidez anembrionada não precisa ter medo que aconteça novamente.

Estes incidentes costumam ser esporádicos e ocorrem devido à fecundação ou alteração nos cromossomos que carregam os genes no óvulo ou espermatozoide.

Se houver reincidência em mulheres acima dos 35 anos é recomendável procurar um especialista em reprodução humana.

Quanto tempo a mulher pode engravidar novamente após uma gravidez anembrionária?

Dependerá de cada caso, normalmente é preciso aguardar o tempo necessário para que o corpo expulse todo o material e também para ser restabelecida a ovulação e ciclos menstruais.

É preciso seguir todas as orientações médicas, pois a chance da próxima gravidez ser normal é grande, portanto não desanime.

Agora que você entendeu mais sobre a gravidez anembrionária ou gravidez anembrionada, se você possui dificuldade em engravidar, ou alguma dúvida sobre fertilidade, agende uma consulta online e converse com um de nossos especialistas!

O CEFERP é a única clínica de reprodução humana da América Latina que possui o certificado de Acreditação Qmentum Internacional™ que se trata de um padrão de excelência global entre organizações de saúde que priorizam a segurança do paciente.

ebook taxas de sucesso
mm

Dra. Rebecca Pontelo

Médica Ginecologista - CRM 123.481 Curso Superior de medicina na Universidade Federal do Espírito Santo - 1999 a 2005 Residência médica em Ginecologia e Obstetrícia na FMRP-USP - 2006 a 2009 Especialização em Reprodução Humana pela FMRP-USP - 2009 a 2010 Tìtulo de especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Febrasgo em 2009
Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia