Qualidade embrionária: como é feita a escolha do embrião?

Qualidade embrionária: como é feita a escolha do embrião?

Qualidade embrionária: como é feita a escolha do embrião?

Banner Sonhar Juntos

No tratamento de fertilização in vitro (FIV) todas as etapas são muito importantes para o sucesso do tratamento. No entanto, a seleção dos melhores embriões para serem transferidos no útero da paciente é crucial. Nessa fase, os embriões são analisados e classificados, para que o tratamento de Fertilização in vitro ocorra com maior probabilidade de implantação e por seguinte gestação.

Se você quer entender mais sobre o que é a qualidade embrionária, como são analisados os embriões no laboratório e como funciona a classificação, continue a leitura e entenda! 

O que é o laudo de qualidade embrionária? 

Cada clínica de fertilidade adota uma classificação da qualidade dos embriões.

Após a FIV, nós do CEFERP entregamos um relatório com todas as informações sobre os gametas (óvulos e espermatozóides) e embriões.

Consenso de Istambul

O CEFERP adota uma classificação internacional, o Consenso de Istambul, para análise embrionária, que permite com que qualquer pessoa em qualquer lugar do mundo possa ter como referência o que foi adotado como nomenclatura.

O que é analisado na qualidade embrionária?  

No laudo de qualidade embrionária consta a avaliação morfológica realizada pelo embriologista.

Durante o desenvolvimento embrionário, o terceiro dia é um dos mais importantes para a realização da análise. Nesse dia é avaliada a quantidade de células formadas, como essas células estão (tamanho regular ou irregular) e se há fragmentação (quantidades de fragmentos presentes no embrião resultantes de divisões celulares anormais). Um embrião de boa qualidade deve possuir baixa quantidade de fragmentos.

Nesta classificação, temos dois números. O primeiro número se refere a quantidade de células, normalmente nesse estágio embrionário temos de 8 a 16 células. O segundo número, varia de 1 a 3, sendo 1 é a melhor classificação e 3 é a pior.

Banner Infográfico dicas

Assista abaixo o vídeo com o diretor de laboratórios do CEFERP, Marcelo Rufato que trata mais sobre o tema:

Classificação dos blastocistos

Outro momento muito importante do desenvolvimento embrionário é o quinto dia de cultivo, quando o embrião atinge o estágio de blastocisto, que é o último estágio de desenvolvimento embrionário antes da transferência para o útero ou congelamento. 

Leia mais: Entenda como funcionam as etapas de desenvolvimento do embrião 

Nessa observação é visualizado como estão dispostas as células, a quantidade e se elas possuem uma boa adesão. 

A classificação do blastocisto compreende três números. O primeiro número refere-se ao estágio embrionário, variando de 1 a 5, sendo 1 o blastocisto inicial e 5 um blastocisto já eclodido.

O segundo número refere-se ao trofectoderma, ou seja, as células que dão origem à placenta e o terceiro número refere-se às células que dão origem  à massa celular interna, o próprio embrião. Nos dois casos, o número varia de 1 a 3, sendo 1 é a melhor classificação e 3 é a pior.

Leia mais: 9 dúvidas sobre análise genética dos embriões 

Gostou do artigo sobre qualidade embrionária? Se você ainda possui dúvidas sobre o tema, deixe um comentário abaixo! 

ebook taxas de sucesso
mm

Marcelo Rufato

Embriologista Sênior e Diretor dos Laboratórios do CEFERP
Perfil no Linkedin

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia