O que é a recepção de óvulos? Entenda como funciona todo processo

O que é a recepção de óvulos? Entenda como funciona todo processo

O que é a recepção de óvulos? Entenda como funciona todo processo

Powered by Rock Convert

A constante evolução da medicina vem auxiliando muitas mulheres a realizarem o sonho da maternidade, mesmo após terem tentado vários métodos sem sucesso. Entre as possibilidades proporcionadas pelas melhores clínicas de reprodução humana está o tratamento com recepção de óvulos.

Voltado às mulheres que apresentam alguma limitação ovariana, ou doença genética, ou ainda para casais homoafetivos masculinos, o procedimento é totalmente legal e tem o respaldo do Conselho Federal de Medicina — desde que alguns critérios sejam respeitados.

Com o objetivo de informar sobre todos os passos desse processo, elaboramos este artigo com orientações bem didáticas. Quer se aprofundar no assunto? Então, continue lendo!

Entenda o que é a recepção de óvulos

O tratamento de reprodução humana com recepção de óvulos parece complexo, mas é fácil de ser entendido. Nesse procedimento, uma doadora anônima destina parte de seus óvulos para uma receptora. Os óvulos doados serão fecundados com espermatozoides obtidos do companheiro da mulher que irá gestar o bebê.

No laboratório, será feita a fertilização in vitro por meio da injeção intracitoplasmática do espermatozoide (ICSI), que unirá os gametas femininos (óvulo doado) e masculino (espermatozóide) para que exista a fecundação.

Após ser fecundado, o embrião permanece de 3 a 5 dias na incubadora até que possa ser transferido para o útero da receptora. Caso não seja transferido nesse momento, ele é congelado para transferência posterior.

Esse tratamento tem uma boa taxa de sucesso, uma vez que o óvulo usado é doado por uma mulher mais jovem, o que aumentam as chances de gravidez. Tem havido um aumento na procura desse tipo de tratamento, que pode ser realizado até com óvulos de bancos internacionais.

Quem pode receber os óvulos

Geralmente, são receptoras de óvulos as mulheres que não tiveram sucesso em tratamentos anteriores, que sofreram repetidos abortos, que perderam os ovários, que apresentaram alguma falência no órgão ou mesmo as que já atingiram a menopausa.

Vale informar que casais homoafetivos masculinos também devem utilizar a técnica, utilizando os espermatozoides de um dos parceiros e o óvulo de alguma doadora anônima. O embrião gerado será transferido para o útero de uma barriga solidária (a mulher que gestará o bebê deve ter relação de parentesco de até quarto grau com o futuro papai).

O Conselho Federal de Medicina exige que a doadora se mantenha no anonimato, impondo regras rígidas para a seleção das doadoras. Os casais interessados nesse tipo de tratamento podem optar por banco de óvulos internacional. É importante frisar que as próprias clínicas disponibilizam óvulos, o que agiliza o procedimento.

Descubra como funciona o tratamento

O primeiro passo do tratamento referente à recepção de óvulos é o agendamento de uma consulta médica com um especialista em uma clínica de reprodução humana. Nesse momento, a futura mamãe será direcionada aos exames necessários para atestar a situação da saúde. Afinal, ela precisa estar bem para levar adiante a gestação, inclusive passando pelo processo de amamentação.

A escolha da doadora é feita com base nas características físicas do casal, mas é preciso cautela nas exigências feitas nesta busca, pois quanto mais específico o casal for, menor a disponibilidade de doadoras com as características e mais difícil será encontrar uma compatível.

A doadora é sempre uma mulher saudável com até 35 anos de idade, que deve passar por diversos exames de saúde para determinar ser capaz de doar seus óvulos. A doação é anônima e não pode ter caráter econômico, o processo é realizado de maneira sigilosa. Por isso, a clínica se preocupa com os horários dos procedimentos, que devem ser realizados por doadoras e receptoras, com o objetivo de preservar as identidades dos participantes. Dessa maneira, nunca haverá o encontro entre as partes envolvidas no procedimento.

Veja em detalhes como ocorre o processo

Antes da coleta dos óvulos, a doadora passa por estímulos por meio de medicamentos hormonais que agem diretamente nos ovários. Ultrassons são realizados para acompanhar a evolução dos folículos. A coleta só acontece quando os folículos atingem o tamanho ideal.

O espermatozóide que será utilizado na fertilização do óvulo doado pode ser obtido antes, no mesmo dia ou após a coleta, tudo dependerá da conduta a ser seguida pela equipe.

Caso o casal e o médico optem pela transferência a fresco, a receptora também começa a preparação do útero para receber os embriões, o chamado preparo endometrial. Ela faz uso de hormônios não injetáveis ao longo de duas semanas e o crescimento do endométrio é acompanhado por meio de ultrassonografia.

Powered by Rock Convert

Chegado o dia da transferência, se o endométrio estiver na espessura correta será feita a transferência para útero da receptora. Caso contrário, haverá o congelamento dos embriões, que poderão ser transferidos em outro momento, desde que o endométrio esteja favorável.

A partir do momento em que ocorre a transferência dos embriões, a receptora precisa aguardar até 14 dias para realizar o teste de gravidez. Em caso de resultado positivo, ela vai passar por todas as fases de uma gestação, sentir seu bebê mexer e ainda todos os detalhes da convivência ao longo dos nove meses, sem falar na emoção do parto.

Entenda as vantagens da recepção de óvulos

A primeira vantagem da recepção de óvulos é que não existem restrições para as mulheres que queiram engravidar, desde que elas apresentem boa saúde para gestação. Os riscos também são pequenos e o índice de sucesso é bem superior em comparação a outros tratamentos.

Ao contrário da adoção de uma criança, não há burocracias e o processo pode ser concluído de uma maneira planejada, ou seja, o casal não fica refém de decisões alheias, e a família terá um filho com características genéticas do pai.

Agora, o principal aspecto a ser destacado é o sentimento materno que a recepção de óvulos permite. A experiência da gravidez, nesse caso, poderá ser vivenciada em todas as fases, desde a notícia do teste positivo até o nascimento do bebê. A mãe sentirá as movimentações do seu filho, conversará com o seu bebê, ou seja, o laço materno será criado de maneira tão forte quanto ocorreria se o óvulo fosse dela mesma. Trata-se de uma vivência impressionante, que realiza sonhos e muda a rotina dos casais.

Portanto, se o seu lar está precisando de uma nova vida e outros métodos já foram testados sem nenhuma eficácia, a recepção de óvulos pode ser uma excelente escolha.

Dicas na hora de escolher uma clínica de reprodução humana

Após estudar sobre o assunto e decidir pela recepção de óvulos, uma importante dica é escolher uma clínica com boas taxas de sucesso e que investe em qualidade. Afinal, são necessários equipamentos de ponta e uma excelente equipe para dar todo suporte às famílias.

Assim, observe se a clínica tem credibilidade no mercado, analise a infraestrutura oferecida, verifique se os profissionais têm formações e especializações na área de reprodução humana e analise, ainda, a reputação do estabelecimento perante a sociedade. Uma boa dica é verificar os depoimentos e avaliações nas redes sociais, além de grupos específicos.

Observe ainda se a clínica segue as diretrizes da resolução nº 2.168/2017 do Conselho Federal de Medicina, ponto essencial no respeito aos aspectos legais. A lei assegura que a doadora não tem nenhum direito sobre o bebê que possa ser gerado. Caso contrário, você pode ter várias complicações legais e, inclusive, possíveis riscos ao longo do processo. Portanto, a confiança tanto na ovodoação quanto na ovorecepção necessita do seu comprometimento de escolher uma clínica séria e que valorize a saúde dos clientes.

Além disso, a credibilidade ainda garante o anonimato das partes envolvidas, trazendo mais segurança ao longo de todo o processo referente a esse tipo de fertilização.

Aliás, veja ainda se termos de consentimento são devidamente assinados por ambas as partes, com o objetivo de garantir transparência e confiança em todo o processo.

Conheça o Programa “Sonhar Juntos”

Para auxiliar no processo de recepção de óvulos, o Centro de Fertilidade de Ribeirão Preto (CEFERP) criou o programa “Sonhar Juntos”.

Trata-se de uma iniciativa que estimula a doação compartilhada de óvulos por meio de mulheres jovens e saudáveis para famílias que queiram realizar a fertilização in vitro e que tenham necessidade de óvulos doados.

Diante dos inúmeros fatores que impedem muitas mulheres de utilizarem os próprios óvulos no tratamento, como idade avançada, menopausa precoce, baixa reserva ovariana, doenças genéticas, entre outros, o programa da clínica é um grande auxílio na realização do sonho da maternidade.

Ao doarem os óvulos, as mulheres realizam um gesto nobre que pode ser comparado à doação de sangue, medula óssea e sêmen. Além disso, ainda podem receber vantagens nos custos do tratamento, ou seja, é uma oportunidade única.

Como você viu nesse post, a recepção de óvulos é uma evolução da medicina e está ajudando muitas famílias a realizar o sonho da maternidade.

Nas palavras de Raul Seixas:

“Sonho que se sonha só

É só um sonho que se sonha só

Mas sonho que se sonha junto é realidade”

Caso você também queira experimentar o método, entre em contato com a nossa equipe e agende uma consulta!

mm

Dra. Rebecca Pontelo

Médica Ginecologista - CRM 123.481 Curso Superior de medicina na Universidade Federal do Espírito Santo - 1999 a 2005 Residência médica em Ginecologia e Obstetrícia na FMRP-USP - 2006 a 2009 Especialização em Reprodução Humana pela FMRP-USP - 2009 a 2010 Tìtulo de especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Febrasgo em 2009
Perfil no Doctoralia

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia