Exames para avaliação da fertilidade masculina

Exames para avaliação da fertilidade masculina

Exames para avaliação da fertilidade masculina

Para que seja possível avaliar a fertilidade masculina é necessário fazer alguns exames, apenas o médico especialista pode determinar qual exame cada homem deve fazer, neste artigo explicamos todos eles.

Espermograma com Capacitação Espermática

O Espermograma é um exame que mostra a quantidade e qualidade dos espermatozoides e é de fundamental importância na avaliação da infertilidade masculina, permitindo direcionar corretamente o melhor tratamento. A partir dos resultados de Concentração, Motilidade, Vitalidade, Morfologia, Volume, pH, Viscosidade, Liquefação, entre outros parâmetros, é possível avaliar a fertilidade do paciente.

As técnicas de Capacitação Espermática verificam a condição do sêmen após lavagem do líquido seminal e incubação em meio de cultivo. Esse resultado complementar mostrará a quantidade de espermatozoides com maior motilidade mediante a eliminação dos espermatozoides imóveis, células imaturas, detritos e plasma seminal (que contém substâncias inibidoras da motilidade). Esse resultado indicará se há a indicação de técnicas de Reprodução Assistida.

Existem basicamente três técnicas de Capacitação Espermática:

  • Sperm-Wash: lavagem do plasma seminal, centrifugação e homogeneização do pellet formado em meio de cultivo especial.
  • Swim-up: lavagem do plasma seminal, centrifugação e incubação do pellet em meio de cultivo. Os espermatozoides que migram do pellet ao meio de cultivo são os melhores e são selecionados.
  • Gradiente Descontínuo: passagem dos espermatozoides através de gradientes de diferentes densidades e formação do pellet com melhores, que serão selecionados.

Os parâmetros avaliados são atualizados com base na última edição do Manual da Organização Mundial da Saúde (OMS). Segundo a OMS e critérios de morfologia Krüger, os parâmetros que mais influenciam na infertilidade devem possuir tais valores:

  • Volume Seminal≥ 1,5ml
  • Concentração≥ 39 milhões de espermatozoides no total
  • Motilidade≥ 32% de Espermatozoides móveis
  • Vitalidade≥ 58%
  • Morfologia≥ 04%

O Espermograma é um exame de Avaliação da Saúde Reprodutiva e deve ser realizado por todos os pacientes que desejam obter uma gestação, principalmente nos casos de:

  • Ausência de gravidez em que não se sabe a causa
  • Homens que realizaram reversão de vasectomia
  • Histórico de criptorquidia, caxumba, varicocele e outros.

Informações sobre o exame:

  • Para a coleta é recomendada abstinência sexual de 2-5 dias.
  • A coleta é realizada em uma sala privativa adequada, minimizando o possível constrangimento e/ou incômodo do paciente.
  • A amostra é coletada em frasco estéril e atóxico, sendo levada ao laboratório para a análise imediatamente.

A partir do resultado do Espermograma com Capacitação Espermática, em conjunto com a avaliação clínica do casal, pode-se definir quais técnicas de Reprodução Assistida podem ter melhores resultados e a necessidade de exames complementares para a avaliação da infertilidade.

Avaliação da Super Morfologia do Espermatozoide

A avaliação da Super Morfologia do Espermatozoide é um exame complementar aprofundado de investigação da infertilidade masculina que proporciona um diagnóstico mais preciso sobre os espermatozoides funcionais.

Ela é realizada com um sofisticado sistema de alta resolução óptica com aumento superior a 6.300x, permitindo a visualização de estruturas intracelulares como os vacúolos (deletérios ao espermatozoide) e uma melhor avaliação da morfologia espermática (cabeça, cauda e pescoço do espermatozoide).

Segundo diversas pesquisas, a presença de vacúolos no espermatozoide possui correlação positiva com lesões no DNA, má função mitocondrial e maiores taxas de aneuploidia, acarretando menores taxas de gestação, maiores taxas de aborto e podendo transmitir problemas genéticos ao embrião.

Na avaliação morfológica convencional, o aumento é de apenas 400 vezes, impossibilitando observar os vacúolos e outras más-formações espermáticas, resultando em uma avaliação menos criteriosa que pode influenciar no tipo de tratamento recomendado.

O teste avalia a taxa de espermatozoides normais e anormais sob essa nova classificação morfológica, possibilitando diagnosticar possíveis falhas de implantação e abortos. A avaliação da Super Morfologia possui as mesmas indicações do Espermograma convencional, mas é principalmente indicado em casos de:

  • Falhas de implantação embrionária
  • Abortos de Repetição
  • ​Fator masculino grave (baixa concentração, motilidade e morfologia anormal)

Teste de Fragmentação do DNA Espermático

Durante o processo de fertilização do óvulo, o espermatozoide passa pela descondensação do seu DNA. No entanto, há diversas alterações que podem reduzir a habilidade do espermatozoide fertilizar o óvulo e produzir embriões, como: estrutura anormal da cromatina, micro-deleções nos cromossomos, presença de vacúolos ou fragmentação do DNA, sendo todas alterações que não são percebidos no exame de Espermograma comum.

A Fragmentação do DNA Espermático é ocasionada principalmente devido ao stress oxidativo, e pode estar associada à diminuição da fertilização, comprometimento no desenvolvimento embrionário e menores taxas de gravidez.

Existem diversas causas para a Fragmentação do DNA espermático, dentre elas:

  • Aumento da temperatura testicular;
  • Varicocele;
  • Presença de espécies reativas de oxigênio;
  • Obesidade;
  • Cigarro;
  • Idade, entre outros.

Pesquisas mostram que homens com motilidade e morfologia espermática alteradas apresentam maiores taxas de Fragmentação do DNA Espermático. Além disso, em diversos casos em que o homem possui espermograma normal também há alta porcentagem de espermatozoides com DNA fragmentado, sendo uma possível explicação para infertilidade sem causa aparente.

Aproximadamente 25% dos homens inférteis apresentam elevadas taxas de fragmentação do DNA espermático. E, em torno de 10% dos Espermogramas normais em casais com infertilidade há altas taxas de Fragmentação do DNA espermático (avaliação da infertilidade sem causa aparente).

A fragmentação do DNA espermático está associada ao insucesso na Inseminação Artificial. Quando as taxas de fragmentação do DNA espermático são superiores a 30%, as chances de gravidez reduzem significativamente de 19% para 1,5%. Desse modo, pacientes com alteração da fragmentação do DNA espermático são menos indicados para a realização da Inseminação Artificial e mais indicados para a realização de FIV / SUPER ICSI, pois apresentam menores chances de gravidez.

Com a realização do Teste de Fragmentação do DNA Espermático no Laboratório do CEFERP, é possível mensurar a extensão do comprometimento do DNA do espermatozoide e auxiliar na indicação do melhor tratamento para cada caso. Suas principais indicações são:

  • Fator masculino grave (alterações na motilidade, concentração e morfologia);
  • Falhas de Implantação Embrionária;
  • Abortos de Repetição, entre outros.

Quer saber mais informações sobre a fertilidade masculina? Responda nosso questionário aqui.

Referências

  • How to improve IVF-ICSI outcome by sperm selection. Berkovitz, A. & Bartoov, B. et al. (2006) Reproductive Biomedicine Online.
  • High-power microscopy for selecting spermatozoa for ICSI by physiological Status. Foresta, C. (2008) Reproductive Biomedicine Online.
  • Blastocyst development after selection at high magnification is associated with size and number of nuclear vacuoles. Vanderzwalmen, P. (2008) Reproductive Biomedicine Online.
  • Fronczak, C., Kim, E., Barqawi, A. (2012) The insults of illicit drug use on male fertility. J Androl 33(4): 515-528
  • Jungwirth, A., Diemer, T., Dohle, G., Giwercman, A., Kopa, Z. et al. (2013) Guidelines on Male Infertility. European Association of Urology, Arnhem, Netherlands, 60 pp.
  • Sakkas, D. & Alvarez, J. (2010) Sperm DNA fragmentation: mechanisms of origin, impact on reproductive outcome, and analysis. Fertil Steril 93(4): 1027-1036
  • Shamsi, M., Kumar, R., Dada, R. (2008) Evaluation of nuclear DNA damage in human spermatozoa in men opting for assisted reproduction. Indian J Med Res 127: 115-123 Sharlip, I., Jarow, J., Belker, A., Lipshultz, L., Sigman, M. et al. (2002) Best practice policies for male infertility. Fertil Steril 77(5): 873-882
  • Sharlip, I., Jarow, J., Belker, A., Lipshultz, L., Sigman, M. et al. (2002) Best practice policies for male infertility. Fertil Steril 77(5): 873-882
  • Simon, L., Proutski, I., Stevenson, M., Jennings, D., McManus, J. et al. (2013) Sperm DNA damage has a negative association with live-birth rates after IVF. Reprod Biomed Online 26: 68-78
  • Vendrell, X., Ferrer, M., García-Mengual, E., Muñoz, P., Triviño, J. et al. (2014) Correlation between aneuploidy, apoptotic markers and DNA fragmentation in spermatozoa from normozoospermic patients. Reprod Biomed Online 28: 492-502
mm

Mariana Rufato

Bióloga Gerente de Controle de Qualidade do CEFERP
Perfil no Linkedin

Tags:, ,

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia