Entenda a relação entre corpo lúteo e gravidez

Entenda a relação entre corpo lúteo e gravidez

Entenda a relação entre corpo lúteo e gravidez

Banner Sonhar Juntos

Você já ouviu falar de corpo lúteo? Também chamado de corpo amarelo ou corpo albicans, seu objetivo é o de dar suporte ao embrião e favorecer a gravidez por meio da produção de hormônios.

O corpo lúteo é formado na última fase do ciclo menstrual, conhecida como fase lútea, e tem duração de 11 a 16 dias, o que varia conforme cada mulher. Após esse período, caso não haja fecundação do óvulo pelo espermatozoide ou a implantação do embrião no endométrio, o corpo lúteo diminui a produção de hormônios e então ocorre a menstruação.

Como o corpo lúteo é formado?

Para entender como o corpo lúteo auxilia na gravidez, primeiro precisamos saber como ele é formado.

Os óvulos são armazenados dentro dos ovários, em estruturas chamadas folículos, que nada mais são do que uma espécie de “bolsa” que contém líquido folicular e o óvulo em si, e que é envolta por células conhecidas como da teca e da granulosa. A cada ciclo menstrual, vários folículos são recrutados para iniciar o crescimento, um deles é selecionado como folículo dominante e tem crescimento mais rápido que os demais, preparando-se para a ovulação.

No processo de amadurecimento, as células da teca e granulosa produzem um líquido, que leva a um crescimento progressivo do folículo. Conforme o ciclo ovariano progride, as células da granulosa vão se multiplicando, produzindo mais líquido e fazendo o folículo crescer, em uma velocidade que pode variar de 1 a 3 mm por dia, aproximadamente.

Quando o folículo atinge tamanho adequado, ele rompe e, neste momento, o óvulo que estava dentro do folículo é liberado para fora do ovário. Logo após a ovulação, o folículo que era dominante sofre modificação de suas características e, em seguida, se torna o corpo lúteo. A nomenclatura “corpo amarelo” se deve à coloração amarela que geralmente a estrutura possui.

Banner Infográfico dicas

Qual é a função do corpo lúteo e sua relação com a gravidez?

Sua função é a de liberar progesterona e estrogênio, hormônios do ciclo menstrual. Estes hormônios são responsáveis pela manutenção das condições do endométrio para uma possível gravidez. Como todo o ciclo menstrual ocorre para possibilitar a gravidez, o objetivo do corpo lúteo é manter tais características para, caso haja formação do embrião, que ele encontre um ambiente favorável para a implantação.

Quando a gestação se concretiza, as células que dão origem ao embrião passam a liberar o hormônio hCG, aquele detectado na urina ou no sangue quando é realizado o teste de gravidez.

O hormônio hCG vai estimular a manutenção do corpo lúteo, que continuará fornecendo estrogênio e progesterona. Por volta da 7ª semana de gravidez, a placenta passa a produzir tais hormônios, substituindo gradualmente o corpo lúteo nessa função e fazendo com que ele se degenere aproximadamente na 12ª semana de gestação.

Caso não ocorra a gravidez, como não há estrutura mantendo seu funcionamento, o corpo lúteo passa a se degenerar e diminuir, até desaparecer ao longo do próximo ciclo menstrual.

É possível ver o corpo lúteo por meio do ultrassom?

Se a paciente fizer um ultrassom logo após ter ovulado, ou na fase lútea do ciclo menstrual, é possível que o médico consiga ver o corpo lúteo. Porém, esta não é a única forma de documentar que houve ovulação e a realização de ultrassonografia para este fim não é obrigatória.

Uma dúvida comum de algumas mulheres é se o corpo lúteo visto no exame de ultrassom pode significar gravidez. A resposta é não. Conforme abordamos acima no texto, a presença do corpo lúteo sinaliza que houve a ovulação, mas não necessariamente significa que houve fecundação do óvulo pelo espermatozoide e fixação do embrião ao endométrio.

Gostou do nosso post sobre o corpo lúteo e conseguiu entender sua relação coma gravidez? Caso esteja tentando engravidar, não deixe de conferir o nosso calendário de fertilidade. É só clicar aqui.

ebook taxas de sucesso
mm

Dra. Camilla Vidal

Médica ginecologista com especialização em Reprodução Humana na HCFMRP – USP. CRM-SP 164.436
Perfil no Doctoralia
Perfil no Linkedin

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia