Como é feito o diagnóstico de fertilidade? Entenda mais!

Como é feito o diagnóstico de fertilidade? Entenda mais!

Como é feito o diagnóstico de fertilidade? Entenda mais!

Antigamente, para justificar a chegada repentina de um irmão, as mães diziam aos filhos que uma cegonha havia trazido o bebê. Porém, para alguns casais, a “cegonha” parece estar distante demais. Nesses casos, uma boa avaliação do diagnóstico de fertilidade é fundamental para direcionar ao melhor tratamento.

Ter um filho e formar uma família está entre os grandes sonhos de muitos casais que escolheram dividir uma vida juntos. Entretanto, algumas vezes esse sonho pode ser frustrado por algum fator biológico, seja ele reversível ou não, e que pode impedir ou diminuir as chances da gravidez acontecer.

As possibilidades do insucesso podem estar relacionadas a aspectos biológicos do homem, da mulher, ou mesmo de ambos. Embora algumas vezes esses fatores sejam permanentes, os avanços da medicina reprodutiva permitem algumas alternativas que potencializam as chances de sucesso.

Por isso, é sempre importante procurar um médico especialista para avaliar as condições fisiológicas quanto à fertilidade do casal. Mas como é feito o diagnóstico de fertilidade? Confira agora algumas das principais informações e entenda mais sobre o assunto!

Exames que avaliam a fertilidade feminina

Grande parte das vezes, a infertilidade feminina é a causa do insucesso nas tentativas de um casal engravidar.  As suspeitas podem se tornar mais evidentes se as tentativas ultrapassarem mais de 1 ano, principalmente se a mulher estiver com mais de 35 anos de idade.

Nesses casos, é extremamente recomendável buscar o auxílio de um médico especialista em reprodução assistida para analisar o problema. Para isso, os médicos poderão solicitar uma série de exames para avaliar as condições fisiológicas da mulher. Confira abaixo alguns dos exames mais adequados para esse fim:

Ultrassonografia transvaginal

A ultrassonografia transvaginal consiste, basicamente, na realização de um exame de ultrassom por via intravaginal. É um dos exames mais solicitados por ser de fácil avaliação e interpretação.

A partir desse exame, é possível detectar alguns fatores que podem impedir o início de uma gestação: a presença de endometriose, alterações na forma do útero ou problemas nas tubas uterinas e nos ovários, por exemplo. Além disso, é possível que o exame detecte a presença de miomas e de pólipos uterinos.

Dosagem de hormônios

A avaliação hormonal da paciente é feita através da coleta de sangue. A partir da análise da dosagem de hormônios, determina-se, então, a existência de alguma condição endócrina que esteja causando problemas de fertilidade na mulher.

Alguns dos hormônios avaliados são os que têm relação direta com a ovulação, como o FSH e o LH. Entretanto, alterações nos hormônios produzidos pela tireoide também podem causar problemas de ovulação. Logo, é importante uma análise de hormônios como TSH, T3 e T4, por exemplo.

Histerossalpingografia

A histerossalpingografia é um exame para análise da profundidade das tubas uterinas. O procedimento consiste, basicamente, na aplicação de um contraste na região do colo uterino e, na sequência, a realização de uma radiografia do local.

Com a utilização desse contraste é possível analisar alterações na forma da cavidade endometrial e nas tubas uterinas. Vale ressaltar que, embora muitas pacientes apresentem queixas de dor ao longo do procedimento, se este exame for realizado por um profissional competente, não representará riscos e nem dores fortes.

Biópsia do endométrio

A biópsia do endométrio é feita com o objetivo de avaliar a condição da parede do útero em casos mais específicos. Em geral, é solicitado diante da suspeita de endometrite refratária ou até mesmo de câncer. Assim, para um diagnóstico mais detalhado do caso, retira-se uma amostra de tecido do endométrio para análise laboratorial.

Videolaparoscopia

A videolaparoscopia é realizada pela introdução de uma câmera para avaliar a existência de endometriose, miomas, cistos ou outros distúrbios que causam dificuldades para engravidar. Com os grandes avanços tecnológicos, nesse exame é possível obter imagens com alto grau de detalhamento, o que é fundamental para um diagnóstico mais preciso.

A partir de uma pequeno corte na região do umbigo, o médico insere a câmera para a avaliação das estruturas da paciente. Esse exame é um pouco complexo, mas é um dos que possibilitam um melhor diagnóstico e com menos margem de erro.

Exames que determinam a fertilidade no homem

Sabe-se que os problemas do casal para engravidar têm causas relacionadas à mulher em cerca de 40% dos casos, e masculinas em outros 40%. No restante, a infertilidade resulta de problemas em ambos os parceiros ou é idiopática (sem causa aparente). Por isso, é extremamente importante que, além da mulher, o homem também seja avaliado.

Para isso, existem alguns parâmetros observados nesses pacientes que podem determinar sua fertilidade ou não. Essa avaliação profissional é fundamental para nortear alguma alternativa para tratamento. E alguns dos exames clínicos e laboratoriais mais requisitados pelo médico são:

Espermograma

O espermograma pode ser considerado como um dos exames mais comuns para determinar a infertilidade masculina. Esse exame é realizado a partir da coleta de uma amostra do sêmen, via masturbação. A qualidade do sêmen é avaliada quanto ao número de espermatozoides, o formato dessas células ou mesmo quanto à sua capacidade de movimentação.

A partir da análise desses parâmetros, é possível determinar se existe algum fator que pode impedir a chegada do espermatozoide até as tubas uterinas. O tempo de abstinência sexual para a coleta do sêmen será entre 2 a 7 dias, de modo que o exame seja feito com maior grau de precisão.

Além disso, alguns serviços oferecem a avaliação da “super morfologia” espermática. Ela é uma análise complementar ao espermograma, na qual o espermatozoide é avaliado sob um aumento superior a 6300 vezes. Em termos de comparação, na microscopia convencional, o aumento era de apenas 400 vezes. Ou seja, isso permite uma análise muito mais detalhada do espermatozoide e possibilita uma contagem criteriosa das células que estariam perfeitas para a fecundação.

Ultrassonografia da bolsa testicular

A ultrassonografia testicular é realizada por meio de um aparelho de ultrassom na região da bolsa escrotal do paciente. Com esse procedimento, é possível detectar anomalias como varicocele, alterações de volume testicular, presença de hidrocele ou nódulos nos testículos.

Análise hormonal

A dosagem hormonal é feita via exame de sangue. Em muitos casos, baixos níveis de testosterona no homem podem causar problemas na produção de espermatozoides. Mas isso pode ser corrigido por meio de uma terapia hormonal, um tratamento feito por um médico endocrinologista.

Exame de urina

A coleta de urina permite avaliar a fertilidade masculina quando há suspeitas de ejaculação retrógrada. Normalmente, o sêmen é conduzido ao ambiente externo por meio da uretra. Mas em casos de ejaculação retrógrada, esse sêmen acaba sendo conduzido para a bexiga.

Essa condição pode ter sido causada por traumas mecânicos, neurológicos ou mesmo por efeitos colaterais de algumas medicações. Uma vez detectada, a ejaculação retrógrada é tratada com medicamentos que, em geral, trazem bons resultados.

A avaliação médica é fundamental

A avaliação médica do casal é fundamental para a obtenção de um diagnóstico preciso e que possa direcioná-los ao melhor tratamento.

Por isso, no caso de insucesso nas tentativas de engravidar, é sempre importante buscar orientação profissional de um especialista em reprodução humana. Dessa forma, é possível solucionar o problema o quanto antes e deixar o casal mais próximo da realização de seu sonho.

Gostou de saber mais sobre como é feito o diagnóstico de fertilidade? Confira também 9 perguntas e repostas sobre fertilidade e esclareça outras dúvidas sobre esse tema!

mm

Mariana Rufato

Bióloga Gerente de Controle de Qualidade do CEFERP
Perfil no Linkedin

Comentários (2)

  • Avatar

    regina

    |

    Gostaria de saber se o espermograma consigo colher em casa e levar ate a Clinica ? Pq meu marido nao quer faser tratamento e meu sonho ter mais uma filha pq ja tenho uma de 11 anos do primeiro casamento e com ele ja faz 6 anos e nao usamos nada e o bb nao chega

    Reply

    • Avatar

      CEFERP

      |

      Oi Regina,

      Para que o tratamento seja feito é necessário o consentimento de todos envolvidos. Não é possível fazer sem que seu marido saiba, existem documentos que devem ser assinados pelo casal.

      Quanto a colher o espermograma fora da clínica, é possível, mas neste caso também é necessário que o seu marido assine um documento específico para isso.

      Procure ter uma conversa aberta com seu marido, explique suas necessidades, expectativas, escute as deles e se juntos quiserem fazer o tratamento estamos aqui disponível para ajudá-lo, inclusive com apoio psicológico.

      Boa sorte e conte conosco.

      Equipq CEFERP

      Reply

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia