Posso ir menstruada para a primeira consulta de Reprodução Humana?

Posso ir menstruada para a primeira consulta de Reprodução Humana?

Posso ir menstruada para a primeira consulta de Reprodução Humana?

Banner Sonhar Juntos

Uma das dúvidas mais frequentes de nossas pacientes que recebemos no consultório é qual o momento certo de realizar a primeira consulta de reprodução humana

A procura por um especialista nem sempre pode parecer uma decisão fácil, e conforme surgem dúvidas, alguns casais por falta de informação podem até mesmo abandonar a ideia de realizar o sonho de gerar o próprio filho.

Nesse momento, é importante não deixar o constrangimento ou a frustração tomarem conta, e buscar o máximo de informações possíveis a respeito do tema.

Neste artigo vamos responder se é possível ir à primeira consulta de reprodução humana menstruada, e também como é feita a primeira consulta no tratamento de fertilidade

Como é a primeira consulta de reprodução humana? 

Após alguns meses de tentativas de gestação sem sucesso, eis que o casal chega à conclusão de buscar o auxílio de um especialista em reprodução humana para investigar os motivos da infertilidade. Este prazo depende de diversos fatores, mas em média é de um ano nos casos de mulheres até 35 anos, e de 6 meses para mulheres após esta idade.

No CEFERP, tudo se inicia com uma conversa. O médico especialista em reprodução humana irá ouvir a história clínica detalhada do casal, buscando compreender as necessidades, expectativas e frustrações. A partir daí, podem ser solicitados exames de acordo com a necessidade e realizada, em conjunto, uma proposta de tratamento.

É comum os casais chegarem na primeira consulta com muitos receios. Nesse momento, é importante ter calma e tranquilidade, pois a primeira consulta servirá para entender melhor os fatores que possam estar impactando nas tentativas de gravidez e buscar o melhor caminho para a solução. Ou seja, ela é o passo inicial da jornada rumo à realização do seu sonho, portanto, esteja confiante! Você não estará sozinha!

Leia mais: A primeira visita ao CEFERP: descubra o que acontece!

Posso ir menstruada na primeira consulta?

Como falamos acima, já na primeira consulta o especialista em reprodução humana irá fazer várias perguntas para analisar a história clínica do casal e assim, iniciar a investigação das causas da infertilidade.

Confira abaixo o vídeo do Dr. Anderson Melo, especialista em reprodução assistida do CEFERP, sobre os exames que são solicitados ao casal já na primeira consulta:

 

Logo, poderão ser solicitados exames médicos tanto para o homem, quanto para a mulher. Um dos exames que já pode ser feito de início é a contagem de folículos antrais da mulher, que tem o objetivo de medir a reserva ovariana. Nesse caso, é ideal que a mulher esteja preferencialmente menstruada para a realização do exame. Portanto, ao contrário do que estamos acostumadas nas consultas ginecológicas, onde a menstruação pode impactar na realização de alguns exames, para a avaliação da reserva ovariana a menstruação é o período ideal para a realização da ultrassonografia. Entenda o porquê neste texto onde explicamos mais sobre o ciclo menstrual e sua relação com a fertilidade: Ciclo menstrual: fases, hormônios e a relação com a fertilidade

O que é a contagem de folículos antrais e como ela é feita? 

A contagem de folículos antrais é um dos exames realizados para medir e avaliar a reserva folicular da mulher.

Banner Infográfico dicas

As mulheres já nascem com os folículos ovarianos prontos, que são formados ainda na vida intrauterina, assim como os ovários, elementos essenciais do aparelho reprodutor feminino para atingir uma gestação. 

Logo ao nascer, estima-se que a menina possua em torno de 2 milhões de oócitos. Isso é o que chamamos de reserva ovariana, que sofre uma constante diminuição até a primeira menstruação (menarca), quando a menina tem cerca de 300 mil oócitos. 

Como pudemos perceber, a reserva ovariana vai se reduzindo constantemente, tendo seu marco de fim em torno dos 50 anos, quando ocorre a última menstruação, a menopausa. 

Ao longo da vida da mulher, em cada ciclo uma certa quantidade de folículos fica disponível para o crescimento, no entanto, apenas um se desenvolve e se rompe sob ação hormonal, liberando assim o óvulo que já estará pronto para ser fecundado.

Leia mais: Folículo dominante: como ele afeta o tratamento de reprodução humana?

Os folículos recebem diversas denominações, a depender de seu estágio de desenvolvimento. A nomenclatura de folículo antral se refere aos folículos com tamanho de 2 a 9mm, já visíveis ao ultrassom. Portanto, estas são as estruturas que são contadas para avaliação da reserva ovariana, sendo o momento mais fidedigno de contagem o início do ciclo menstrual.Para programar um tratamento de fertilidade, é essencial saber qual a reserva ovariana da mulher, pois assim é possível estimar a resposta ao tratamento que será proposto. 

A contagem desses folículos é feita por meio de uma ultrassonografia transvaginal, que geralmente permite visualizar com bastante precisão os ovários e folículos. O exame deve ser realizado até o terceiro dia do ciclo menstrual, preferencialmente. 

O que a contagem de folículos pode mostrar? 

O objetivo da contagem de folículos, como mencionamos, é avaliar a reserva ovariana. Outros marcadores também são importantes para esta análise, como a idade da mulher, histórico de cirurgias ovarianas, presença de endometriose, endometriomas ou outros cistos ovarianos, dentre outros fatores.

Com o avançar da idade, além de ter grande diminuição na quantidade da reserva, também há a perda da qualidade do material genético. Por isso, é importante estar atento ao tempo de tentativas e procurar orientação médica caso o bebê não chegue após algum tempo.

A contagem de folículos esperada varia de acordo com a idade da mulher. Contagens abaixo do esperado são sugestivas de baixa reserva ovariana.

Além disso, a realização da ultrassonografia transvaginal permite fornecer outras informações, como características do útero, presença de miomas, pólipos, cistos ovarianos, hidrossalpinge, etc. Desta forma, o exame é de grande auxílio para a programação de qualquer tratamento para engravidar.

Opções de tratamento disponíveis

Já na primeira consulta, o especialista em reprodução humana poderá orientar ao casal quais os tratamentos disponíveis no centro de fertilidade, assim como as taxas de sucesso de cada procedimento. 

A definição do melhor tratamento a ser realizado deve ser tomada em conjunto entre o médico e o casal, levando-se em consideração diversos fatores como chances de sucesso, idade da mulher, tempo de tentativas, dentre outras questões. 

As causas de infertilidade são variadas, sendo aproximadamente 30 a 35% ligadas a fatores femininos, e 30 a 35%, masculinos. Além disso, cerca de 20% das causas da infertilidade podem ser por fatores combinados do casal. E ainda, em 10% dos casos não é possível identificar o fator causador da infertilidade (esterilidade sem causa aparente). 

Logo, cada caso deve ser avaliado de maneira individualizada, devendo-se levar em consideração também as preferências e expectativas do casal. A escolha de uma clínica de fertilidade de confiança é essencial nesse momento decisivo para o futuro familiar. Assim você poderá se sentir mais confiante e tranquila em cada etapa.

Se você possui mais dúvidas a respeito da primeira consulta de reprodução humana, deixe nos comentários abaixo ou entre em contato conosco.
O CEFERP é uma clínica de fertilização completa, contamos com uma equipe qualificada e preparada para atender você!

ebook taxas de sucesso
mm

Dra. Camilla Vidal

Médica ginecologista com especialização em Reprodução Humana na HCFMRP – USP. CRM-SP 164.436
Perfil no Doctoralia
Perfil no Linkedin

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia