fbpx

Ceferp | Centro de Fertilidade Ribeirão Preto - Reprodução Humana

Cabeçalho

Qmentum Oncofertility

Tire todas suas dúvidas sobre o congelamento de óvulos

A modernidade tem trazido mudanças culturais muito positivas, especialmente para as mulheres, que têm ganhado mais espaço e independência. Hoje elas trabalham, estudam, têm um foco muito maior na carreira e muitas possibilidades. Com isso, elas também têm tido filhos mais tarde.

Porém, apesar de todas as alterações na sociedade, o corpo continua com o mesmo ritmo e ainda não foram inventadas tecnologias que podem parar o ritmo do envelhecimento.

Para não abrir mão da maternidade ou para reduzir os riscos para o feto de uma gravidez tardia, muitas mulheres têm investido no congelamento de óvulos, uma técnica segura e que dá mais liberdade para planejar a sua gravidez. Tem interesse pelo tema? Então continue a leitura!

O que é o congelamento de óvulos? Como o procedimento é feito?

O congelamento de óvulos é uma técnica que tem estado cada vez mais em evidência, principalmente após as celebridades recorrerem a ela, como é o caso de Ivete Sangalo, que aos 45 anos resolveu descongelar seus óvulos, congelados quando ainda era mais jovem, e deu à luz duas filhas.

Além dela, outras que fizeram o mesmo foram: a cantora Ana Carolina, as atrizes Karina Bachhi, Paula Bulamarqui e Suzana Pires e a apresentadora Sabrina Sato.

E o que todas essas mulheres têm em comum? A vontade de serem mães e a falta de um parceiro no momento ou até de possibilidade de pararem as suas carreiras para uma gestação — então, encontram no congelamento de óvulos um procedimento extremamente seguro.

Para iniciá-lo, a mulher é submetida a um processo chamado “estimulação ovariana controlada”, que deverá ser iniciada até o 3º dia da menstruação, com medicamentos específicos. A monitorização de resposta é realizada através de exames de ultrassonografia transvaginal (a cada 2 ou 3 dias). Quando os folículos atingirem tamanhos adequados, a maturação folicular é induzida e, então, é marcada a coleta.

O procedimento de coleta dura em torno de 20 minutos e é feito com uma agulha guiada pelo ultrassom transvaginal, com a mulher sob sedação. Após a retirada dos óvulos, o material é enviado ao laboratório, que analisará um por um.

Na sequência, esses óvulos passam pelo procedimento de congelamento e são estocados em botijões de nitrogênio líquido; lá, permanecem até quando a mulher desejar usá-los.

Quando é indicado fazer o congelamento de óvulos?

No começo, o procedimento era apenas indicado para mulheres diagnosticadas com câncer. Hoje, muitas mulheres procuram o procedimento porque querem adiar a gravidez, seja por ainda não terem encontrado o parceiro certo ou por acharem que esse ainda não é o momento.

O congelamento de óvulos também é uma possibilidade interessante para aquelas mulheres que sofrem com a menopausa precoce na família. Vale lembrar, também, que outras doenças que possam necessitar de tratamento quimioterápico (lúpus, por exemplo) ou transplante de órgãos também podem antecipar a falência ovariana.

Porém, independentemente dos motivos, a principal dica é se preparar, já que o procedimento é indicado para mulheres de até 35 anos. Entre os 35 e os 40 anos, existem chances de a mulher engravidar, contudo a qualidade e quantidade dos óvulos cai de forma mais acelerada.

Além disso, a partir dos 40 anos o procedimento é pouco recomendado, já que existem menores chances de gravidez e maiores riscos para o bebê, como as síndromes genéticas.

Lembrando que toda mulher pode congelar os seus óvulos, desde que não tenha entrado em processo de tratamento de câncer. Nesses casos, o melhor é que o procedimento para estimular o ovário seja feito antes do início do tratamento com químio ou radioterapia.

Por quanto tempo os óvulos podem permanecer congelados?

Os óvulos congelados não têm data de validade. Hoje as técnicas estão muito avançadas e permitem manter os óvulos congelados por um período indeterminado.

Como é feito o armazenamento dos óvulos congelados?

Hoje, a técnica mais usada é a preservação dos óvulos em nitrogênio líquido, chamada de vitrificação, com um esfriamento diferenciado e capaz de manter os óvulos seguros por muitos anos e sobreviverem ao descongelamento com qualidade.

Quando o congelamento surgiu, na década de 90, as taxas de sucesso eram baixas, porque eram usados processos lentos de congelamento, que causavam cristais de gelo no interior das células.

A inovação surgiu com a vitrificação. Nessa técnica, os óvulos passam por um processo com substâncias crioprotetoras e só depois são inseridos no nitrogênio líquido em uma temperatura de -196ºC.

Como é a gravidez com os óvulos descongelados?

Para que a mulher engravide, os óvulos congelados precisarão passar pelo descongelamento para fazer a fertilização in vitro.

Se a mulher optou pelo congelamento de óvulos porque ainda não encontrou um parceiro, existe a possibilidade de uma produção independente, recorrendo à utilização de espermatozoides de um Banco de Sêmen.

O processo de fertilização in vitro com óvulos descongelados nada difere do procedimento com óvulos a fresco, e após a transferência ao útero, o embrião  se comporta exatamente igual a uma gravidez espontânea.

Existe algum risco para o bebê originado a partir de óvulos congelados?

O procedimento é bastante seguro tanto para a mulher como para o bebê. O risco de problemas genéticos, má formação ou outras doenças é igual tanto para os bebês nascidos de óvulos congelados como os de gravidez espontânea.

O congelamento de óvulos garante que ficarei grávida no futuro?

Não. Isso porque o óvulo precisará ser descongelado, fertilizado e implantado no útero, e durante todos esses procedimentos existem taxas estatísticas de sucesso que não dependem exclusivamente da qualidade do óvulo congelado.

Qual a quantidade ideal de óvulos que deverá ser congelada?

Esse é um fator extremamente importante e capaz de aumentar o sucesso da fertilização in vitro. Antes de iniciar o procedimento de coleta de óvulos, a mulher pode ser submetida a exames capazes de avaliarem a reserva ovariana.

Caso a quantidade seja grande, as chances de obter embriões aumentam, bem como a taxa de sucesso da gravidez, pois o número de bebês nascidos a partir de óvulos congelados é diretamente relacionado à idade da mulher no congelamento e quantidade de óvulos obtidos. Também vale mencionar que a fertilização in vitro tem uma taxa de sucesso que pode chegar a 80%, dependendo da idade da mulher, da qualidade do sêmen e do óvulo.

Por tudo isso, é impossível definir um número ideal, mas, em geral, é indicado que sejam congelados o maior número de óvulos possível para cada caso, visando aumentar as chances de sucesso.

O congelamento de óvulos é um procedimento seguro?

Sim. Porém, existem alguns riscos que devem ser explicados à mulher, como:

Síndrome da hiperestimulação ovariana

Causada pelos medicamentos usados para  estimular o crescimento dos folículos. Ela é rara e normalmente tem sintomas transitórios, sem necessidade de internação, como dores abdominais, náusea, vômito e diarreia. Em casos mais raros, pode levar a dificuldades respiratórias e excesso de líquido abdominal; existem maneiras de se identificar pacientes com mais risco de desenvolver hiperestímulo, para que sejam tomadas as devidas precauções desde o início do tratamento.

Complicações na coleta de óvulos

São bem raras e estão mais relacionadas à anestesia e ao processo de aspiração, quando feitos por profissionais não preparados.

Riscos emocionais

O procedimento em si não aumenta o risco de complicações psicológicas porém o processo para alcançar a maternidade traz expectativas, e nem sempre o congelamento de óvulos pode ser sinônimo de formação de embriões e sucesso na gravidez.

Depois de ler este conteúdo, você acredita que o congelamento de óvulos é o mais indicado para o seu caso? Aproveite e leia o nosso conteúdo sobre como a coleta de óvulos é feita e fique mais bem informada!

Mariana Rufato

Mariana Rufato

Bióloga formada pela Universidade de São Paulo -USP
CRBio 683386/01
Mariana Rufato
Compartilhe com seus amigos
Bióloga formada pela Universidade de São Paulo -USP
CRBio 683386/01
abril 10, 2018 | Mariana Rufato | 2 comentários

2 respostas para “Tire todas suas dúvidas sobre o congelamento de óvulos”

  1. Patrícia do Val Marcondes disse:

    Oí tudo bem¿ Tenho 39 anos, ainda posso congelar meus óvulos¿ Pretendo ter filhos só mais tarde tipo com43 anos… e não fiz até hj esse procedimento

    • CEFERP disse:

      Oi Patrícia,
      Obrigada pelo contato.
      O tempo é realmente um fator complicador da fertilidade feminina, mas isso não quer dizer que não seja possível, mas apenas após uma consulta com avaliação da sua reserva ovariana será possível determinar se o congelamento de óvulos é um tratamento indicado para você.
      Se tiver interesse em agendar uma consulta conosco seguem nossos contatos:
      (16) 99302-5532 (WhatsApp)
      (16) 3877-7789
      (16) 3877-7784
      ceferp@ceferp.com.br

      Atenciosamente,

      Equipe CEFERP – Centro de Fertilidade de Ribeirão Preto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa Newsletter
Seja o primeiro a receber nossas dicas e novidades.a Cadastre-se agora para receber nossa newsletter.


Avaliação da Fertilidade Feminina
Saiba seu período fértil
Saiba mais sobre a fertilidade do casal