Nova nomenclatura para o Diagnóstico Genético Pré-implantacional

Nova nomenclatura para o Diagnóstico Genético Pré-implantacional

Nova nomenclatura para o Diagnóstico Genético Pré-implantacional

Acabou de ser aprovada a padronização internacional das siglas que se referem aos diferentes tipos de diagnóstico genético pré-implantacional, que é a análise genética do embrião biopsiado durante o tratamento de fertilização in vitro.

A análise genética para diagnóstico pré-implantacional passa a ser chamada de PGT – Teste Genético Pré-implantacional, sendo dividido em duas técnicas.

PGT-M (antigo PGD): Teste para diagnóstico de doenças monogências hereditárias, para que se identifiquem os embriões portadores de alterações genéticas que resultam em doenças presentes no histórico da família (como a Anemia Falciforme, Fibrose Cística, Síndrome do X Frágil, Doença de Huntington, etc), e se transfira ao útero apenas os embriões livres dessa doença específica.

PGT-A (antigo PGS): Teste de screening de aneuploidias (alterações no número de cromossomos). Ou seja, é o rastreamento completo dos 24 cromossomos do embrião para verificar se estão todos normais, trazendo uma série de vantagens que potencializam o resultado da fertilização in vitro, visto que serão transferidos apenas aqueles embriões saudáveis. Esse teste diminui taxas de aborto e afasta doenças cromossômicas como a Síndrome de Down (relacionada principalmente com a idade materna avançada).

A partir de agora, no CEFERP e em todos os nossos canais de comunicação passaremos a utilizar a nova nomenclatura para atender aos requisitos internacionais.

Deixe um comentário

Aplicativo CEFERP

Conheça o manual da fertilidade e saiba mais sobre reprodução humana.

Celular