fbpx

Ceferp | Centro de Fertilidade Ribeirão Preto - Reprodução Humana

Cabeçalho

Qmentum Oncofertility

Conheça as principais doenças que atrapalham a fertilidade masculina

Relacionamento amadurecido e a carreira estável abrem caminho para realizar o sonho de aumentar a família. Entretanto, estresse, alimentação inadequada e baixa qualidade do sono — características da vida moderna — vêm afetando a fertilidade masculina, ao ponto de a contagem média de espermatozoides ter caído nos últimos anos.

Estudos mostram que as causas da demora na realização do sonho de um casal engravidar também podem estar no homem, o que acende o alerta para a prevenção e tratamento de suas condições reprodutivas.

Não há nada de assustador nesse diagnóstico, pois os avanços da medicina trazem solução para os problemas da vida moderna. Isso quer dizer que o ser humano continua sendo causador de problemas e gerador de soluções.

Para abordar as ameaças à fertilidade masculina, criamos este post com as 7 principais doenças que podem dificultar a realização do sonho e como vencê-las. Acompanhe:

Doenças que afetam a fertilidade masculina

Azoospermia secretora

A azoospermia é a ausência de espermatozoides no sêmen ejaculado. Pode ser considerada como secretora (não obstrutiva) e obstrutiva.

A azoospermia secretora, mais frequentemente diagnosticada, pode ter como causa o fator congênito ou ser resultante de tratamentos e sequelas de doenças.

Os fatores congênitos vão desde anomalias na descida dos testículos a alterações genéticas, enquanto as demais causas se originam de alterações hormonais, traumatismos e inflamações nos testículos ou ainda exposição a medicações, radioterapia e quimioterapia.

A azoospermia secretora é considerada a mais severa, pois essa condição tem a ver principalmente com a produção de espermatozoides, dificultando a coleta de espécimes saudáveis e promissores em tratamentos para fertilização.

Azoospermia obstrutiva

Diferentemente da azoospermia secretora, a obstrutiva não compromete a produção de espermatozoides saudáveis e de boa qualidade, mas somente a sua liberação nos momentos de ejaculação.

A obstrução dos canais impede o transporte dos espermatozoides dos testículos até a uretra, impedindo a fertilização do óvulo.

O impedimento da fertilização do óvulo pode se dar em virtude de inflamações ou de traumatismos nos testículos, pela inexistência congênita de canais ou pela supressão de canais em decorrência de cirurgias.

Problemas na próstata podem ocasionar essa dificuldade. Portanto, todas as possibilidades devem ser avaliadas na análise de problemas com a fertilidade masculina.

Varicocele

A varicocele — uma dilatação anormal das veias testiculares — pode ser causadora de problemas na fertilidade masculina. A propensão para essa dilatação é normalmente congênita, e o fenômeno ocorre geralmente após esforço físico.

A dilatação prejudica o retorno venoso e provoca a má qualidade dos espermatozoides.

Dificilmente encontrada em crianças, pode ser diagnosticada em homens entre 15 e 25 anos, com grandes possibilidades de reversão do quadro.

Carência hormonal

A falta de equilíbrio na produção hormonal masculina pode ocasionar baixos níveis de testosterona e espermatozoides com qualidade ruim.

O FSH (hormônio folículo estimulante) estimula a produção dos espermatozoides, enquanto o LH (hormônio luteinizante) incita a produção de testosterona. O desequilíbrio entre eles pode afetar, sim, a fertilidade masculina.

Considerada uma das poucas causas reversíveis da infertilidade entre os homens, o tratamento de reposição pode ser eficaz, mas o acompanhamento por profissional especializado é importante e decisivo para o êxito.

Fatores iatrogênicos atrapalham a fertilidade masculina

Esses fatores podem ser efeitos colaterais, especialmente decorrentes de cirurgias, que causam lesões ao canal de liberação do sêmen e, consequentemente, dos espermatozoides.

Essas lesões, também decorrentes de sequelas de outras doenças, não afeta a produção nem a qualidade dos espermatozoides, mas, ao evitar a sua liberação, contribui negativamente para os problemas no processo de fertilização.

Causas idiopáticas

Quando, após uma pesquisa completa, não se encontram as prováveis causas para a infertilidade masculina, é comum dizer que são idiopáticas.

Sem a identificação do fato causador é difícil prover tratamento. Os caminhos para a realização do sonho de aumentar a família devem, então, passar por uma clínica profissional especializada em tratamentos.

O ideal é que a escolha contemple profissionalismo comprovado pela tradição, inovação e tecnologia, aliados a um atendimento humanizado.

Infecção por doença sexualmente transmissível

Além de infecções por outros motivos, aquelas causadas por doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) podem provocar alterações nas taxas de espermatozoides.

Doenças como clamídia, tricomoníase, ureaplasma e neisséria (comumente chamada de gonorreia) causam infecções no canal de ejaculação e podem comprometer a qualidade e quantidade dos espermatozoides.

Como vencer esses desafios?

O sonho de aumentar a família não precisa ser desfeito. Independentemente da causa, os problemas com a fertilidade masculina podem — e devem — ser tratados.

A reprodução assistida, além de resolver problemas dessa natureza, permite a realização do sonho por meio da supervisão de profissionais experientes, que, paralelamente às soluções apresentadas, são capazes de oferecer orientação e acompanhamento.

Vejamos como combater os desafios apresentados:

Varicocele

A varicocele, quando diagnosticada, deve ser tratada por intervenção cirúrgica. Como a sua incidência é em homens entre 15 e 25 anos, pode acontecer que o diagnóstico ocorra somente após as tentativas de o casal engravidar.

Estudos têm mostrado que homens com diagnóstico de varicocele, após cirurgia corretiva, tiveram o aumento da qualidade dos espermatozoides entre 40% e 50%, permitindo a fertilização fisiológica do óvulo.

Carência hormonal

A carência hormonal depende, basicamente, de reposição, que deve ser diagnosticada e tratada por profissionais especializados. Problemas de fertilidade masculina decorrentes de desequilíbrio hormonal devem ser acompanhados bem de perto, pois a reposição não trata diretamente as causas do desequilíbrio

Infecções por DST

Obviamente que, no caso das doenças sexualmente transmissíveis, o ideal é a prevenção, não apenas pela proteção à fertilidade, mas à saúde em geral.

Como cada doença deve ser tratada a seu modo, vamos abordar esse tópico em conjunto com os demais, sob a ótica da fertilidade masculina.

Vencendo os problemas com fertilidade masculina

Azoospermia secretora, obstrutiva, causas idiopáticas, fatores iatrogênicos e as infecções por DST, quando analisadas como fatores impeditivos para a fertilidade masculina, permitem diagnóstico direto e simples: acompanhamento profissional em fertilidade e reprodução humana.

Para assuntos delicados como os nossos sonhos, precisamos ser efetivos, sem correr riscos. Não temos tempo para processos de tentativa e erro nem podemos permitir que a ansiedade presente na realização desse sonho passe a ser um impedimento.

Essas soluções são a boa notícia para os problemas decorrentes da baixa qualidade de vida. Para casais envolvidos no turbilhão de metas, longas horas de trabalho, reuniões sem fim e pouquíssimo tempo para si mesmos, ajuda especializada é a melhor solução.

Quer saber mais sobre fertilidade masculina e feminina? Baixe nosso eBook!

Dr. Jorge Barreto

Dr. Jorge Barreto

Médico especialista com formação pelo Hospital das Clínica da FMRP-USP.
CRM-SP 33.541
Dr. Jorge Barreto
Compartilhe com seus amigos
Médico especialista com formação pelo Hospital das Clínica da FMRP-USP.
CRM-SP 33.541
agosto 1, 2017 | Dr. Jorge Barreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa Newsletter
Seja o primeiro a receber nossas dicas e novidades.a Cadastre-se agora para receber nossa newsletter.


Avaliação da Fertilidade Feminina
Saiba seu período fértil
Saiba mais sobre a fertilidade do casal