Afinal, sexo durante o tratamento para infertilidade atrapalha?

Afinal, sexo durante o tratamento para infertilidade atrapalha?

Afinal, sexo durante o tratamento para infertilidade atrapalha?

Passo a passoPowered by Rock Convert

Casais que estão buscando realizar o sonho da maternidade geralmente têm várias dúvidas sobre o que é permitido ou não ao longo dos procedimentos. Entre elas, está a pergunta: é permitido o sexo durante o tratamento para infertilidade?

Como a relação sexual ajuda no aumento da afetividade entre as pessoas que se amam, é preciso desmistificar o tema, trazendo as informações corretas. Quer saber a resposta para esse questionamento? Então continue lendo!

É permitido o sexo durante o tratamento para infertilidade?

Apesar de não ser o único ingrediente que mantém a união entre duas pessoas que se amam, o sexo é importante para aumentar a intimidade entre os casais. Como alguns métodos de fertilização exigem cuidados especiais, há alguns detalhes que devem ser observados.

Por isso, é importante conhecer cada tipo de tratamento e suas respectivas recomendações para continuar com a vida sexual sem restrições.

De olho em sua qualidade de vida, explicaremos cada uma delas e como agir em relação ao sexo.

Afinal, é preciso manter o convívio harmonioso, mantendo a saúde da mulher, sempre com foco na conquista de mais um integrante para a família!

Inseminação artificial

A inseminação intrauterina é caracterizada pela colocação dos espermatozoides na cavidade uterina no consultório no dia da ovulação. Esta pode ser estimulada por meio de medicamentos ou evoluir de forma natural, monitorada por ultrassonografia.

É importante o homem ficar alguns dias sem ejacular justamente para aumentar a concentração de espermatozoides, fato que pode ser determinante na fecundação do óvulo.

Basicamente, é indicado que ocorra um período de até quatro dias sem ejacular justamente visando um aumento da probabilidade de gravidez.

Depois da inseminação, a orientação é que os casais tenham relações sexuais tanto na noite seguinte quanto nos dois dias seguintes, sempre pela manhã, caso a mulher esteja disposta e sem incômodos.

Dessa maneira, a taxa de sucesso aumenta consideravelmente, pois mais espermatozoides estarão disponíveis para fertilizar os óvulos liberados.

Fertilização in vitro

Essa é uma técnica que promove a fecundação do óvulo pelo espermatozoide no laboratório, com o tratamento ocorrendo em várias etapas, como estimulação ovariana, coleta dos óvulos e sêmen, fertilização e transferência do embrião para o útero.

Em relação ao sexo durante esse procedimento, a dica é que o casal tenha atenção redobrada!

Isso porque existe o risco da gravidez múltipla inesperada, como de gêmeos, trigêmeos e até quadrigêmeos.

Powered by Rock Convert

Afinal, com a prática sexual a fecundação pode acontecer também de forma natural em razão da estimulação ovariana, somando-se à fertilização in vitro, ou seja, ao contrário de um filho, podem chegar dois ou mais.

Coleta de sêmen

Geralmente, a abstinência sexual deve durar de dois a cinco dias, período que já garante um volume adequado de líquido seminal e com qualidade.

Ficar mais tempo sem fazer sexo pode enfraquecer os espermatozoides por conta da diminuição da mobilidade dos gametas, da mesma forma que períodos muito curtos são negativos.

Portanto, é preciso agir com sabedoria para manter o foco na busca pela gravidez, sempre respeitando os limites do corpo.

Namoro programado

Sendo um método que necessita de sexo após o desenvolvimento folicular, o namoro programado é um método simples que conta com a frequência sexual do casal para dar certo.

Após a injeção do HCG (hormônio que promove a liberação do óvulo), a relação sexual deve acontecer em até 36 horas, ou seja, o namoro deve ser priorizado neste momento, mas podendo acontecer durante todo o tratamento.

Por que é importante o sexo durante o tratamento para infertilidade?

Respeitando as particularidades descritas acima em cada tipo de tratamento, o sexo durante o tratamento para infertilidade pode ser necessário e até recomendado.

Além do sexo auxiliar nos procedimentos e aumentar as chances de gravidez, principalmente quando praticado com certa frequência ― não só nos períodos de ovulação! Já que o espermatozoide leva, em média, um dia para atingir o óvulo, o período mais indicado para fecundar é um dia antes ou depois da ovulação ―, ele estreita a afetividade entre o casal. O sexo pode ser a resposta para a conquista do sonho da maternidade!

No entanto, cada caso é um caso. O diálogo é fundamental para traçar as estratégias de cada casal. Muitos já estão desgastados em razão das longas tentativas frustradas de engravidar e, muitas vezes, auxílio psicológico auxilia.

A orientação é sempre valorizar os laços afetivos e a compaixão entre ambas as partes, com aceitação e paciência.

Caso você tenha relação sexual frequente há mais de um ano sem métodos contraceptivos e ainda não conseguiu engravidar, a dica é procurar um especialista em reprodução humana para um diagnóstico mais certeiro. Priorize uma clínica de renome e credibilidade no mercado.

Outra dica é evitar que a rotina corrida interfira na vida sexual. Muitas vezes, o estresse influencia negativamente e pode ser um fator limitador no processo de fecundação.

Portanto, invista em uma convivência sadia dentro no lar e saiba que o sexo durante o tratamento para infertilidade não deve ser um tabu.

E você, ficou com alguma dúvida? Então deixe aqui o seu comentário!

mm

Dra. Rebecca Pontelo

Médica Ginecologista - CRM 123.481 Curso Superior de medicina na Universidade Federal do Espírito Santo - 1999 a 2005 Residência médica em Ginecologia e Obstetrícia na FMRP-USP - 2006 a 2009 Especialização em Reprodução Humana pela FMRP-USP - 2009 a 2010 Tìtulo de especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Febrasgo em 2009
Perfil no Doctoralia

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia