Pólipo uterino: conheça os sintomas e saiba como ele afeta a fertilidade

Pólipo uterino: conheça os sintomas e saiba como ele afeta a fertilidade

Pólipo uterino: conheça os sintomas e saiba como ele afeta a fertilidade

Powered by Rock Convert

Um problema que preocupa muitas mulheres é o pólipo uterino. Trata-se de lesões localizadas no interior do útero que podem, dependendo do caso, interferir na concepção.

Você já ouviu falar nele? Pois é disso que vamos tratar neste post! Então, continue lendo para entender como ele é formado e quais são os tipos de tratamento, entre orientações que valem a pena ser absorvidas.

O que é o pólipo uterino?

O pólipo uterino surge por meio do crescimento desordenado de células na parede interna do útero, o endométrio. Em outras palavras, forma-se um tipo de espessamento, como uma protuberância, no interior da cavidade uterina.

Esse problema pode atingir mulheres em idade reprodutiva ou até as que já entraram na menopausa. Geralmente, ele tem características benignas, com baixo índice de malignização. No entanto, caso ele seja percebido, são necessários cuidados especiais com foco na saúde da mulher.

Os pólipos podem ser divididos em dois tipos:

  • endometrial — caracterizado pelo crescimento excessivo de células no interior da cavidade uterina (endométrio);
  • endocervical — aparece nas células da parte interna do colo do útero, sendo constatado por meio de uma protuberância no exame especular (exame ginecológico).

É importante deixar bem claro que, em muitos casos, esses pólipos são benignos e não apresentam riscos à saúde. Por conta disso, a recomendação é que as mulheres sempre realizem os exames de rotina com seu ginecologista visando o devido acompanhamento da situação.

Quais são as causas dessas lesões?

Basicamente, o pólipo uterino pode ser formado em razão de alterações hormonais e influência genética. No entanto, alguns especialistas defendem a tese de que eles são formados por conta de lesões preexistentes na camada de revestimento interno do útero. A causa definitiva, portanto, ainda enfrenta controvérsias.

De todo modo, pólipos uterinos costumam ser identificados em exames de rotina, em pacientes assintomáticas.

Quais são os sintomas do pólipo uterino?

Um dos principais sinais observados é um fluxo mais intenso ao longo da menstruação ou um padrão de sangramento irregular. Muitas mulheres, contudo, não percebem esses sintomas e só identificam o problema por meio de uma consulta com o ginecologista. Por isso, mais uma vez enfatizamos a importância de você sempre procurar auxílio especializado, realizando exames rotineiros recomendados de acordo com a faixa etária.

Além do sangramento anormal citado acima, existem outros indícios da lesão, tais como:

  • sangramento vaginal entre os ciclos menstruais;
  • sangramento vaginal após a relação sexual;
  • sangramento no período pós-menopausa.

Caso perceba algum desses sintomas, procure ajuda médica e faça um diagnóstico preciso para iniciar um tratamento adequado. Isso pode ser feito por meio do exame ginecológico (no caso dos pólipos endocervicais) e ter auxílio de métodos de imagem, como o ultrassom transvaginal, por exemplo.

Em alguns casos, para melhor avaliação da cavidade uterina, pode ser realizada a histeroscopia. Esse exame consiste na introdução de uma câmera por meio do colo uterino, para visualização direta da cavidade uterina e realização de biópsia de lesões suspeitas, caso seja necessário.

Também é importante mencionar que a histeroscopia pode ter validade na investigação de outros fatores capazes de interferir na fertilidade, como cicatrizes (sinéquias) e alterações anatômicas (septo uterino, por exemplo).

Como o pólipo pode influenciar a fertilidade?

Algo que traz muita preocupação às mulheres é o fato de que a formação do pólipo uterino pode ter relação com casos de infertilidade, dificultando a gravidez. Isso porque a presença dessa lesão é capaz de prejudicar a fixação do embrião no endométrio, ou seja, a nidação.

A gravidez só ocorre quando o espermatozoide fecunda o óvulo feminino, formando um embrião que se fixará na parede uterina durante a nidação. Logo, sem a devida fixação no endométrio, a gestação não tem como prosseguir.

Vale ressaltar, entretanto, que essa interferência do pólipo no processo de implantação embrionária não é consenso na área da Reprodução Humana. Deve-se levar em consideração também outros fatores, como o seu tamanho e localização.

Além disso, é bom dizer que as mulheres podem apresentar apenas um pólipo ou múltiplos. De todos os casos, somente de 1% a 3% se transformam em células malignas, fator que pode gerar um câncer. A maioria, portanto, é benigna e tende a desaparecer com o tempo.

Como se dá o tratamento do pólipo uterino?

A primeira dica para você facilitar o tratamento é realizar um diagnóstico precoce e adequado, que só acontece por meio de visitas regulares ao ginecologista. Então, mantenha sempre em dia a sua rotina de exames e consultas e não fique muito tempo sem ser avaliada por um especialista.

O tratamento dependerá do tamanho do pólipo, da sua localização, entre outros fatores individuais e sintomas apresentados. Poderá ser desde um acompanhamento clínico, com realização de exames seriados para avaliação do pólipo, até a retirada cirúrgica da lesão. Geralmente, é possível retirar o pólipo endocervical no próprio consultório, com auxílio de materiais específicos, por meio de exame ginecológico.

No caso de pólipo endometrial, uma das maneiras de melhor avaliar e retirá-lo é a histeroscopia. Com esse mesmo procedimento, dependendo do caso, pode ser realizada a retirada do pólipo usando o aparelho da histeroscopia, sem necessidade de corte por via abdominal.

Portanto, se você está com a intenção de engravidar e apresentou suspeita ou confirmação de pólipo, converse com o seu médico especialista sobre a melhor conduta e possibilidade de remoção.

Quais são as diferenças entre pólipo, mioma e cisto?

Agora que já está claro o que é um pólipo uterino e qual é a sua relação com a gravidez, é hora de explicarmos um ponto que, muitas vezes, causa dúvidas entre várias mulheres: a diferença entre pólipo, mioma e cisto.

O pólipo, geralmente, acontece no interior do útero ou no canal endocervical (interior do colo uterino), constituindo uma proliferação de tecido semelhante a uma “verruga”, geralmente de consistência amolecida. Já o mioma é uma proliferação anormal das células do miométrio (o músculo do útero). Por isso, costuma ser nodular, de consistência mais rígida, e pode aparecer na parede do útero, dentro ou fora dele.

Cisto, por sua vez, é um termo que engloba uma maior quantidade de achados, sendo definido por uma formação sacular que pode conter conteúdo sólido, líquido ou outros. São exemplos de cistos o endometrioma, o teratoma e o cisto folicular.

Enfim, como você pôde perceber, o pólipo uterino não é nenhum bicho de sete cabeças. Quem segue corretamente as orientações médicas e está sempre investindo em qualidade de vida, com certeza, se manterá livre do problema — ou conseguirá superá-lo com a devida garra que toda mulher traz dentro de si!

O sonho de ter filhos nunca deve ser deixado de lado, tendo em vista que a evolução da ciência e da medicina possibilita inúmeras alternativas para uma gravidez saudável e repleta de boas notícias. Por isso, lembre-se: a melhor dica para saber se você tem algum dos diagnósticos acima é sempre se cuidar, observando os sinais do seu corpo. Caso apresente algum dos sintomas que vimos aqui, ou mesmo outro que tenha notado, nada é melhor do que agendar uma consulta com o seu médico de confiança.

E aí, gostou do post? Se quiser aprender ainda mais, aproveite conferir também sobre a redução transitória da fertilidade!

Powered by Rock Convert
mm

Dra. Camilla Vidal

Médica ginecologista com especialização em Reprodução Humana na HCFMRP – USP. CRM-SP 164.436
Perfil no Doctoralia

Comentários (6)

  • Avatar

    x

    |

    Adorei o post!
    Além de me tranquilizar, trouxe esperança.
    Gratidão, Dra!

    Reply

    • Avatar

      Atendimento CEFERP

      |

      Olá,
      Obrigado pelo carinho! Um abraço e boa sorte! 🙂

      Equipe CEFERP – Centro de Fertilidade de Ribeirão Preto

      Reply

  • Avatar

    Rose Félix

    |

    Olá, Boa tarde!

    Gostei muito do esclarecimento desse post!
    Que bom que temos profissionais comprometidos.

    Obrigada, Dra pela orientação! Isso é de grande valia para várias mulheres. Que Deus lhe abençoe sempre!😍😍😍

    Reply

    • Avatar

      Atendimento CEFERP

      |

      Olá Rose,
      Obrigado pelo seu comentário e pelo carinho!
      Amém. Abraços!

      Atenciosamente.
      Equipe CEFERP – Centro de Fertilidade de Ribeirão Preto

      Reply

  • Avatar

    Geisi

    |

    Eu já retirei pólipos há 2 anos e não tive uma experiência agradável. Agora estou com os mesmos sinais. Sangramentos leves duramente dias.vou fazer outro exame 😱estou angustiada

    Reply

    • Avatar

      Atendimento CEFERP

      |

      Olá Geisi,
      Obrigado pelo seu comentário!
      Infelizmente mesmo após a retirada do pólipo, ainda há a possibilidade do reaparecimento. Mas o procedimento de retirada de pólipo geralmente é tranquilo, havendo possibilidade de sedação, dependendo do profissional.

      Atenciosamente.
      Equipe CEFERP – Centro de Fertilidade de Ribeirão Preto

      Reply

Deixe um comentário

Perfil no Doctoralia
Perfil no Doctoralia